Por Lucas Mello em 26 de fevereiro de 2014

Publicidade e Propaganda – Expressão ou Opressão?

No passado, se uma marca, produto ou serviço queria se destacar tinha que investir em qualidade, melhor custo-benefício, preços baixos, competência e originalidade. Hoje, além de tudo isso, deve também investir em Propaganda. Algo que apenas agregava valor antigamente acabou se tornando vital para que o grande público tome conhecimento ou se torne fiel.

Contudo, atualmente ainda vejo algumas pessoas não entenderem o valor e a necessidade de fazer Propaganda, principalmente os pequenos empresários que ainda não tiveram contato com os resultados que ela pode trazer.

A título de curiosidade, perguntei a alguns conhecidos como acham que seria o mundo sem a Publicidade. Alguns disseram que é impossível conceber tal pensamento, uma vez que ela está tão enraizada e presente em tudo. Outros pensam que seria um colapso, já que ela nos supre de várias formas diferentes, sendo necessária para o crescimento e desenvolvimento. Um disse que sua vida não mudaria muito, uma vez que não vive pelo que é imposto como moda ou status, e outro declarou que seria benéfico e libertador. Nessas horas eu me pergunto: É isso que as pessoas pensam de nós, publicitários? Ditadores da moda, de status e opressores a tal ponto de comemorarem a “liberdade” quando da nossa extinção?

Bem, num ponto todos devem concordar. A Publicidade é extremamente poderosa. E para exemplificar isso, temos um dos piores – se não o pior – episódios da história da humanidade.

Imagem 1

É difícil aceitar a ideia de que algumas nações assimilaram uma ideologia tão agressiva e vitimaram aproximadamente um milhão e meio de judeus, cento e quarenta mil poloneses, vinte mil ciganos, dez mil prisioneiros de guerra e mais de vinte mil homossexuais, prisioneiros políticos, testemunhas de Jeová e outros que não se encaixavam no “perfil ariano”. E tudo isso foi possível graças a Joseph Goebbels e suas mentiras que contadas mil vezes tornaram-se verdades, além de incentivar o nacionalismo e fanatismo exacerbado utilizando-se do cinema, dos Delírios de Massa e outras táticas publicitárias. O mesmo ocorreu com a Ditadura Militar no Brasil, onde o DIP (Departamento de Imprensa e Propaganda) controlava qualquer meio de comunicação e utilizava-os para transmitir ideais do Governo Vargas com a ajuda de métodos ainda utilizados pela Publicidade nos dias de hoje.

Se entrarmos nesse assunto dos meios de comunicação poderemos ampliar ainda mais nossa discussão. Meios de Comunicação são poderosos, seja a televisão, internet, jornal, rádio e etc. Quem os possuir, seja para vigiar, comunicar ou induzir, terá o controle das nossas vidas. E quem controlará os que nos controlam? Até que ponto o controle deles será para a nossa segurança e quando e como estarão efetivamente nos oprimindo?

Sim, toda essa situação é muito complicada, e apesar de todas as discussões levantadas, ainda não conseguimos chegar a respostas conclusivas e definitivas. O que se pode dizer é que a Comunicação dá poder às pessoas. Poder de nos fazer amar ou odiar, ter desejo ou repulsa, gastar ou poupar, ajudar ou ignorar.

E é nesse ponto que a Publicidade age, sempre argumentando, oferecendo soluções e mediando conversas entre emissores e receptores. Quando um produto é concebido, temos que mostrar e convencer pessoas a comprá-lo. Quando surge um concorrente, é preciso convencer as mesmas pessoas a continuarem fiéis à marca, e quanto maior a empresa, mais habilidade será necessária. É assim que funciona a roda do capitalismo, criando, apresentando, argumentando e vendendo. Tudo isso é sustentado pela nossa incansável busca pela satisfação, realização e felicidade.

Por isso não podemos culpar algo que está lá apenas para sintetizar desejos e opiniões. Se há algo de errado no mundo, não é apenas a Publicidade ou os Meios de Comunicação, mas também o egoísmo, egocentrismo, falta de caráter, protestos sem fundamentos, gigantes que tornam a adormecer rapidamente, rebeldes sem causa, black blocs, falta de amor próprio e ao próximo, ignorância, roubo, corrupção, voto comprado ou até mesmo o lixo que alguns jogam pela janela.

O time Jornalismo, Publicidade e Propaganda, Relações Públicas e Meios de Comunicação está sempre pronto para suprir umas das necessidades mais básicas do ser humano, a Comunicação. Cada um na sua esfera de atuação, ajudando e dependendo dos outros. E não importa o que se diga ou pense, tão importante quanto criar algo que possa salvar pessoas ou apenas satisfazer um desejo mínimo, é apresentá-lo ao mundo.

Deixe um comentário

Publicidade