Por Fernanda Soares em 9 de novembro de 2015

Crítica – Divertida Mente: Mais uma ótima animação da Pixar

divertida-mente

Com diversas obras aplaudidas pelo público a Pixar volta com mais um longa de animação, que nos faz refletir sobre todo o universo de sentimentos e emoções que existem em nós. A trama conta a história de Riley, uma garotinha que precisa largar o seu cotidiano porque teve que se mudar quando o seu pai arrumou um novo emprego em São Francisco. Daí inicia-se todo o enredo da história, mostrando como Riley é guiada pelas suas emoções, sendo elas: Alegria, medo, tristeza, raiva e nojinho.

A grande e incrível sacada do filme é transmitir por meio de cores e desenhos os conceitos que são totalmente abstratos, já que a história gira em torno da mente da protagonista Riley. O que nos traz de bom em assistir o longa, é perceber como somos controlados por nossas emoções. Tudo de bom e ruim que nos acontece nos molda e constrói a nossa personalidade. Acreditamos que quando somos crianças somos controlados pelo sentimento eterno de alegria, mesmo que em alguns poucos momentos eles dessem lugar a outras emoções, a alegria estava sempre de canto pronta para voltar a agir. Em alguns momentos do filme percebemos que o pai da garota era controlado pela raiva, a sua mãe pela tristeza, e tudo isso pode ter sido acarretado por acreditarem que deixando de ser criança, perdiam o controle da alegria, tornando mais complicado contornar um problema e não permitindo que a diversão superasse as dificuldades.

Outro ponto tocante e bem escrito no filme é quando vai chegando ao final e tudo parece estar dando errado. A garotinha com as suas emoções apagadas não consegue sentir mais nada e sequer ter o discernimento do que está fazendo. A tristeza dentro da sala de controle da mente de Riley sempre foi tratada com muita vigia, para que assim, não estragasse os momentos da vida da menina. Porém, chega um ponto que a tristeza é notada como um sentimento também de união, oferecendo uma mensagem importante sobre como lidar com ela no seu cotidiano já que ninguém pode ser 100% alegria, é passando pela tristeza e tendo momentos de choro, que as coisas voltam a ser normais. Assim, Riley conseguiria mostrar o que tava sentindo e ser acolhida pelos seus pais.

Divertida Mente é um filme incrível e com um roteiro brilhante, além de ser bastante ousado em brincar com um assunto importante, mas, de um jeito descontraído e animado. Nesse filme você pode esperar uma boa dose de nostalgia, vida, emoções, criatividade, reflexão e aquelas situações que lhe levam a rir e ao mesmo tempo achar tudo muito inteligente.

Deixe um comentário

Publicidade