Por Fabio Queiroz em 1 de agosto de 2016

A ideia que contribui socialmente

 

Ensinar e alertar a sociedade para causas não muito conhecidas ou consideradas pela população sempre foi algo presente na profissão da propaganda. Profissionais da área sentem-se lisonjeados ao fazer parte da mudança que vem com o intuito de beneficiar indivíduos, oferecendo-lhes informações que somam e agregam valor para um mundo melhor.

O case Man boobs criado pela David de Buenos Aires para a instituição MACMA conquistou o Grand Prix For Good no Cannes Lions Health 2016.

Em 2013, o mundo conheceu personagens que ensinavam as maneiras mais idiotas de morrer. “Dumb ways to die” levou para a McCann Melbourne vários Grand Prix’s e a conscientização de que não se deve invadir e se deve prestar mais atenção nos trilhos de trem na Austrália.

Usar o celular ao dirigir ainda é um problema constante e causa inúmeros acidentes, mas outro comportamento não muito abordado na publicidade, também pode gerar uma fatalidade não esperada. A agência WE de São Paulo chamou a atenção das mulheres que tem o costume de se maquiar ao volante.

(imagem 01)

Tentar mudar o mundo com criatividade é algo difícil e inesperado, pois uma ideia quando exposta torna-se moldável a percepção de quem a irá receber. Nossa função como profissionais de propaganda é encontrar os elementos, aspectos, características, ferramentas e contextos que conversam com um determinado público, só assim ocorrerá o necessário para a construção da interpretação efetiva do consumidor ao ter contato com a ideia utilizada para persuadi-lo.

 

Deixe um comentário

Publicidade