Por Bruno Haulfermet em 5 de setembro de 2016

#IlustradoresBrasileiros: Luciano Freitas e o Na Mira da Moda.

Em quase um ano e meio escrevendo aqui no Plug, descobri, pesquisando para os posts, incríveis projetos, nacionais ou não, com a intenção de dar uma força na inspiração nossa de cada dia.

Dando um pulo no Facebook ou no Instagram, a gente encontra uma infinidade de talentos brasileiros com traços e projetos que enchem os olhos. E com tanta inspiração aqui dentro, a ideia do #IlustradoresBrasileiros é a gente mostrar os trabalhos junto com uma entrevista sobre esses profissionais: o que os inspira, seus processos criativos, novas ideias e o que mais surgir.

Vamos lá?

Que tal começarmos com um projeto que explora o universo feminino, desde os dilemas básicos do dia a dia até abordagens sutis sobre temas em discussão acerca da mulher? E se esse projeto for encabeçado por um homem?

Na Mira da Moda é um projeto de tirinhas e cartuns, idealizado por Luciano Freitas, um profissional de 34 anos, repleto de talento e que adora observar o mundo feminino. Tendo como personagem principal a jovem Lena, uma mulher de vinte e poucos anos, a série mostra com leveza e bom humor situações corriqueiras – ou não tão corriqueiras assim – da rotina feminina.

namiradamoda_2

Inicialmente criado para abordar o comportamento humano diante da moda, o projeto evoluiu, passando a salientar temas que vêm sido discutidos cada vez mais em sociedade.

Ganhando notoriedade em 2013, o Na Mira da Moda conta hoje com um grande número de seguidores no Facebook e Instagram, já tendo sido publicado também na França, com o nome Lena Et La Mode.

Chega mais e dá uma olhada no papo que batemos com o Luciano: 

 

O que te influencia ao longo do processo criativo?
Tudo que ouço ou vejo na rua – que me pareça pertinente aos temas que abordo – , minha relação com as pessoas, mais precisamente esposa e amigas, essas me inspiram diariamente. A estética me influencia muito também. Por exemplo, posso me deparar com um look de alguém na rua e “pá!”, uma ideia surgir.

namiradamoda_10

 

Em dias que discutimos cada vez mais assuntos relacionados à mulher, você acha que o ‘Na Mira da Moda’ contribui para essa boa discussão? Como?
Hoje vejo que contribui sim. Quando surgiu não. Até “errei a mão” algumas vezes e reconheço que fui machista em tirinhas infelizes, mas creio que isso faça parte de um processo de reciclagem que precisamos passar. O machismo é muito enraizado na educação de um homem e se livrar disso é um processo. Hoje costumo abordar assuntos como a liberdade da mulher na hora de se vestir – os shorts curtos da Lena e o preconceito em torno –, a valorização dos cachos contra a ditadura do alisamento – a personagem Taty – e o comportamento e a liberdade da mulher no relacionamento a dois – Lena e seu namorado Rubinho, entre outros assuntos. Os comentários e os compartilhamentos ficam abertos para as discussões. A ideia é acender a discussão e fazer com que a tirinha seja usada para ilustrá-la.

namiradamoda_3namiradamoda_7

 

Sendo o principal responsável pelo projeto, nota algum preconceito por parte do público feminino?
Alguns. Não são todas as leitoras que aceitam bem, por exemplo, a autoestima elevada da Taty e seu cabelo cacheado – embora seja uma personagem superquerida pela maioria. Uma personagem nova, a Margô, que é gordinha, também não teve uma aceitação excelente. Isso fica muito claro quando analiso os níveis de likes e compartilhamentos de cada tirinha. E eu não quero ter que desenhar a Margô sempre que quiser falar sobre peso, ou a Taty quando quiser falar sobre questões raciais. Não! Elas são personagens da turma e serão desenhadas nas mesmas situações que a Lena. Continuar a desenhá-las, pasme, é quase um ato de resistência à queda de likes. E é isso que desejo. Inclusive, adianto que uma série de tirinhas só com a Taty já está sendo estudada.

namiradamoda_6

Já passou por alguma situação inusitada por causa do ‘Na Mira’?
Já fui reconhecido na rua e isso foi muito inusitado para mim. Porque quase nunca posto fotos minhas nos perfis do “Na Mira”, talvez para evitar isso mesmo, não sei lidar com isso. Sou um desenhista e prefiro que a Lena apareça, não eu.

 

O que você e a Lena têm em comum?
Quase tudo. Não sou tão consumista como ela, principalmente em relação à moda, mas características mais sutis impressas na Lena são minhas, e tenho plena ciência disso, embora não seja algo pensado. Creio que se eu fosse mulher eu seria a Lena.

 

Pode falar um pouco mais sobre ela?
A Lena é uma jovem de 20 e poucos anos, consumista, mas ciente do que faz. Ela é uma mulher que sabe que a vaidade não a desmerece e não a torna fútil. A Lena ama o Rubinho, mas se permite olhar e admirar outros homens, sem que isso afete seus sentimentos. Apesar de muito, mas muito indecisa, é segura em relação às coisas que sente. Tem suas crises existenciais, não se enquadra muito às exigências da vida adulta, mas é esforçada e incapaz de fazer mal a alguém.
namiradamoda_8 namiradamoda_11namiradamoda_5namiradamoda_9

 

Hoje você divulga o projeto em redes sociais diferentes, que atingem públicos de faixa etária bem diversificada, e tem alguns produtos que estampam o projeto. Você tem planos de expandir ainda mais o universo de Lena e cia?
Sim, planos sempre existem, mas não para o momento.

 

Qual é a tirinha que você mais gosta?
Ah, difícil uma tirinha que mais gosto, mas tem uma que eu fiz para o Dia do Amigo há um ano mais ou menos que é sempre muito bem recebida pelos leitores. Acho que fui muito feliz no diálogo entre a Lena e a Taty ali.

namiradamoda_1

E para finalizar, vou pedir licença e chamar a Lena para uma mensagem final, pode ser?
Claro! Mas tenha paciência com ela, por favor.

 

Lena, é um prazer ter você aqui no Plug, e muito legal ver sua atitude em desconstruir padrões. Para o pessoal que acompanha o Blog, pode deixar uma mensagem?
Gente, tô passada com as coisas que o Lu falou sobre mim! Como assim indecisa? Eu? Ajuda, Deus, que eu não tô acreditando nisso! Mas tudo bem. Serei breve, porque marquei com a Taty no shopping e já estou atrasada uns quarenta minutos. Meninas, a coisa é muito simples: vocês são livres para ser, vestir e fazer o que quiser! O que Taty, Margô, Malu e eu falamos na internet é o que NÓS pensamos e não o que VOCÊS devem pensar. Discutam, discordem, concordem, mas principalmente, se divirtam! Beijos mil!

namiradamoda_4

 

E não se esqueça de conferir mais tirinhas através do Facebook, Instagram e o Twitter  da Lena e cia.

 

Deixe um comentário

Publicidade