Por Wando Nascimento em 14 de outubro de 2016

Perestroika – O aprendizado é uma opção, não uma imposição.

Imagine você no primeiro dia de aula, sentado na cadeira com a maior expectativa, e o professor aparece vestido de vaca (seria hilário!). Ou então você está lá esperando e, de repente, visualiza por um telão o professor chegando atrasado – ele entra na sala vestido de branca de neve (hilário de novo). 

Agora imagine outra situação. O professor pergunta:

– Alguém quer uma cerveja?

Você responde:

– Claro, por que não?

E assim a aula começa. Pode até parecer utopia ou maluquice mesmo, mas é assim que algumas aulas da Perestroika se iniciam.

A Perestroika é uma escola de atividades criativas, com cursos nas mais diversas áreas, que utiliza abordagens inovadoras, inspiradoras e funcionais para a vida pessoal e profissional.

Crédito da imagem: revistapegn.globo.com

Crédito da imagem: revistapegn.globo.com 

A primeira aula da escola aconteceu no dia 14 de abril de 2007 e levou o nome de “A criatividade não compensa”. Tinha como plano de fundo o mundo do crime: sequestros, golpes, assaltos e corrupção. A finalidade era mostrar que a criatividade está presente em toda e qualquer manifestação humana, inclusive nesse caso.

Enquanto os alunos aguardavam, o professor repentinamente chutou a porta da sala com violência e entrou gritando – ele estava vestido de policial americano (fiquei imaginando o Victor Willis do Village People). Foi apresentado aos cadetes a lista dos criminosos mais procurados da cidade. A cada criminoso, uma história curiosa. Essa aula foi emblemática e traduziu de maneira bem objetiva e concreta o tipo de ambiente de aprendizado que queriam produzir.

Sim, eles têm uma metodologia

Falando assim até parece que tudo é feito no improviso, mas não é verdade. Eles têm uma metodologia chamada Experience Learning. Ela é constituída de 23 pontos organizados em 4 grandes módulos: conteúdo, forma, emocional e estrutural.

A Perestroika parte do pressuposto de que a escola deveria ser um lugar mais inspirador do que é hoje, por isso “toda aula tem que ser um show. Precisa surpreender!”. Para o espetáculo acontecer, todos os detalhes são pensados: a luminosidade da sala indicada para o tema a ser ensinado; as playlists de chegada, intervalo e de saída; os momentos de experimentação, que podem ser desde emular o ambiente de uma praia na sala de aula, com areia e tudo, até promover uma degustação de cachaça.

A metodologia é o resultado do Mashup entre as práticas experimentais que desenvolveram nos últimos 8 anos, o que conhecem dos conceitos clássicos de educação, os movimentos contemporâneos de aprendizado, o entendimento da sociedade pós Revolução Digital e os 4 pilares da Unesco para educação. É uma metodologia baseada em experiência que tem como foco trazer mais diversão e leveza para o ambiente de aprendizado, ou seja: é a mistura de educação com entretenimento. Entenda mais acessando aqui. 

Crédito da imagem: perestroika.com

Crédito da imagem: perestroika.com  

O Treco

Uma das técnicas para criação de experiências que facilitam a retenção é o Treco. Ele é, sem sombra de dúvida, um dos grandes destaques da metodologia. O papel que ele desempenha dentro de todo o sistema é de protagonismo e visibilidade. É a forma mais literal de tangibilizar a entrega de experiência. É o que Maslow chama de Experiência Culminante. Um exemplo: uma escola de samba que invade repentinamente a sala, interrompendo uma apresentação, tocando freneticamente durante 5 minutos. Ela faz uma algazarra, e de repente, tão rapidamente quanto surgiu, desaparece.

Ou seja: o TRECO é uma dinâmica, uma experiência, um acontecimento grandioso e intenso que reforça o conteúdo da aula. Ele é algo que deve virar notícia, gerando comentários do tipo: “vocês nem imaginam o que aconteceu ontem”. 

O Treco serve como uma espécie de ancoragem. Essa notícia, na verdade, é uma âncora. Um facilitador de acesso ao conteúdo que foi visto.

Se você quer entender melhor esse sentido de “ancoragem”, vale a pena conhecer a distinção entre as memórias semântica e episódica, proposta pelo cientista canadense Edel Tulving neste link.

Os cursos

Chora Ppt, Poker Profissional, Skate para Mulheres, Escola de Mães, Trindade, Yakuza, Liga Pontos, Zero G, Empreendedorismo Criativo, SWAG, Print.Me, Tetris etc. Esses são alguns nomes de cursos oferecidos pela Perestroika. Confira mais alguns clicando aqui.

Deixe um comentário

Publicidade