Por Fernando Magnus em 8 de dezembro de 2016

Sorria, você está sendo espionado.

Não resta dúvidas que a experiência de estar conectado ao mundo digital trouxe um grande avanço para a comunicação moderna. Fazer pesquisas sobre os mais diferentes assuntos, poder interagir com pessoas de todo o mundo, estar sempre informado minuto a minuto sobre os acontecimentos da atualidade, ou mesmo cultivar amizades no mundo virtual, são algumas das conquistas que tivemos graças a popularização das redes sociais.

Entretanto, ao criar uma conta, em qualquer que seja a plataforma digital, o usuário se submete não somente a uma série de regras (implícitas e explícitas nos termos de uso) como passa automaticamente a gerar dados que são amplamente aproveitados pelas ‘gigantes’ do mundo virtual. Ao informar dados pessoais, tais como o endereço de nossa casa, locais que costumamos frequentar e telefones, o usuário passa a ser categorizado como público alvo para os mais diversos fins.

Certamente, você já experimentou pesquisar no Google por eletrônicos ou artigos de vestuário e, dias depois, alguns banners de empresas correspondentes a sua pesquisa magicamente apareceram em seu perfil no Facebook, ou em sites que você navega. Isso acontece porque ao navegar pela internet você deixa rastros, que, consequentemente, são usados pelas empresas anunciantes e pela publicidade digital.

shutterstock_360903995

Graças a Edward Joseph (ex-técnico da CIA), o mundo ficou sabendo, em 2013, que na última década pessoas residentes ou em trânsito no Brasil, assim como empresas instaladas no país, se tornaram alvos de espionagem da Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos (National Security Agency – NSA, na sigla em inglês). Estima-se que o Brasil teve 2,3 bilhões de telefonemas e mensagens espionados, em outras palavras: o mundo virtual não é tão seguro quanto imaginamos.

Não devemos esquecer o risco de exposição que as redes sociais trazem ao postarmos fotos e fazer check-in em locais públicos. Tudo pode aparentar bastante inofensivo, contudo é válido refletir quais são as possíveis consequências que toda esta exposição nos traz. No primeiro semestre deste ano, a apresentadora Ana Hickmann sofreu um atentado por um “fã” em Belo Horizonte, que a acompanhava e, consequentemente, localizou onde a apresentadora estava hospedada graças a postagens em redes sociais.

O consumo de conteúdo nas redes sociais pode se tornar reduzido e segmentado por conta da maneira que as empresas organizam o feed de conteúdo em sua timeline. Visando aumentar a interação entre os usuários e melhorar o engajamento de páginas e perfis, plataformas como Facebook e Instagram organizam o conteúdo de cada usuário de acordo com o que ele consome. Em outras palavras, se você é aficionado por futebol e periodicamente curte, comenta e compartilha posts desse tipo, torna-se mais comum que só apareça em sua timeline postagens referentes a este conteúdo.

Entenda como se proteger nas redes sociais:

Discrição
É natural que os internautas queiram compartilhar com seus amigos, fotos e vídeos do cotidiano. Porém, a exposição excessiva de sua intimidade pode acarretar danos irreparáveis. Nunca se sabe quando stalkers, ou mesmo criminosos, monitoram suas redes. Para evitar qualquer tipo de problema quanto a exposição, todo cuidado é pouco.

Privacidade
Atualmente, é possível configurar quais pessoas podem ter acesso aos seus dados pessoais. A grande maioria das plataformas permite que os usuários configure a conta como “privada”. Outra regra fundamental é evitar adicionar desconhecidos, tornando seu perfil ainda mais seguro.

Proteção
Manter o antivírus atualizado e ativo também é uma excelente dica. Seja no computador ou no celular, o aplicativo pode evitar dor de cabeça com ataques e programas que invadem as redes e e-mails. Vale lembrar que nunca se deve clicar em links suspeitos ou abrir arquivos que você não conheça a procedência.

Segurança
Procure manter anotado em lugar seguro seus endereços de e-mail e senhas de redes sociais. Evite usar senhas iguais para todas as redes sociais e, sempre que possível, faça a combinação de letras e números que dificultem o acesso de suas contas por desconhecidos.

 

Deixe um comentário

Publicidade