Por Bia Vasco em 9 de fevereiro de 2017

Startups Spin-off, além do core business.

Muitas vezes, dentro do portfólio de uma empresa alguns serviços ou produtos acabam se sobressaindo. Eles podem ter um valor exaltado com alguma exclusividade, ou um investimento individual.

Nem sempre esta “mercadoria destaque” é pensada, às vezes ela simplesmente apresenta uma melhor performance e se torna uma fonte criativa para um negócio, que acontecerá dentro de um outro segmento. Resumindo: “Startup Spin-off ocorre quando uma organização ou empresa explora um novo produto ou serviço, a partir de um já existente.” (Leandro Freire). 

Deve ficar claro que Spin-off não é uma franquia!
Uma franquia usa padrões que remetem ao mesmo negócio da empresa mãe, utiliza os seus produtos e estrutura e dá uma porcentagem do lucro a empresa original. Uma Spin-off cria uma vertente focada em um determinado produto emergente, direcionando-o.

Um momento em que se deve pensar em “spinoffar” é quando o produto que está se destacando não coincide com os principais ideais da empresa, até porque nem tudo no portfólio é um fiel representante.

Um exemplo simples:
Um salão de beleza, especializado em apliques e tranças, com uma manicure disponível em alguns dias.
A manicure começa a ter uma procura muito maior, e até mesmo chega a ocupar mais cadeiras no salão. O seu trabalho ganhou destaque e pode ser aproveitado melhor em uma esmalteria, por exemplo. Um pensamento “spinoffador”, nesse caso, é analisar o contexto, conteúdo e mercado e tentar fazer essa esmaltaria funcionar.

Lista de etapas básicas para a criação de uma Spin-off:

  • Criação a partir da empresa-mãe (startup);
  • Elaboração do plano de negócios;
  • Estudar o mercado em que está tentando se inserir;
  • Divulgação da tecnologia;
  • Incubação/aportes financeiros;
  • Desenvolvimento dos produtos;
  • Crescimento exponencial de um deles;
  • Nova empresa.

 

A criação do produto:

Antes de qualquer criação, deve haver uma pesquisa sobre o produto, seus clientes e usuários, sua utilidade e vários fatores externos. Para um bom começo, pode se seguir alguns passos:

  • Entender a persona (para quem esse novo produto será criado);
  • Diagnóstico do Business (Mapeamento Core Business) onde será possível entender o negócio fonte para refletir sobre eficiência do novo negócio);
  • Resolubilidade, como conseguir uma proposta de solução para os problemas que esse novo serviço pode vir a ter;
  • Encontrar as oportunidades! Fechando a trajetória, e depois de bem estruturada a ideia,  depois de encontrar boas oportunidades é só colocar a mão na massa.

 

O Spin-off é uma ideia inteligente, focada em exaltar um serviço, e pode, inclusive, alavancar uma empresa fonte. Uma dica: por se tratar de um produto “novo”, é sempre bom ter mentores nestes negócios específicos, e como já diz um ditado de perseverança: “devagar e sempre”.

Muitas vezes, tentar interagir entre produtos pode “desfocar” os objetivos. A maioria das oportunidades estão o tempo todo ao nosso lado, em uma aba de site, uma lista de serviços – e até mesmo no ambiente em que estamos.

 

Fonte.

Deixe um comentário

Publicidade