Por Bruna Moura em 17 de fevereiro de 2017

Carrefour coloca a diversidade em prática

Diversidade e gênero não são temas fáceis de serem discutidos, mas devem ser debatidos. Essa nova geração, que apelidaram como ‘mimimi’, é a da discussão e desconstrução. O processo pode ser visto como lento, mas assim caminhamos. Devido a essa nova realidade, as marcas estão levantando algumas bandeiras contra alguns temas como machismo, preconceito, homofobia, etc. É importante colocarem em debate alguns temas, mas o Carrefour foi além.

Em 7 anos, a empresa estruturou um comitê da diversidade, tendo como objetivo a desconstrução, propondo uma nova cultura na empresa: a da pluralidade. E um dos frutos dessa política foi a contratação de duas profissionais transgêneros. Paulo Pianez, diretor de sustentabilidade e responsabilidade social do Carrefour Brasil, comenta que: “Dentro de nossos levantamentos como base do comitê percebemos que os transgêneros faziam parte de um dos grupos que enfrentavam maior dificuldade no mercado de trabalho.”.

Assista à entrevista com o Paulo:

O primeiro passo para a implantação foi refletir sobre o que a empresa achava sobre a diversidade, depois veio o diálogo com as lideranças para os mesmos passarem para seus funcionários. E assim foi trabalhando a cultura da empresa. Pianez comenta sobre como é simples resolver certas questões em pauta : “A questão do banheiro quando falamos de transgêneros sempre entra em pauta. Ficou definido que o profissional transgênero utilizaria o banheiro com o gênero que ele se identificasse. Se nasceu homem, mas se identifica mulher, vai usar o banheiro feminino. O mesmo foi feito com o crachá. Lá, deve estar sua identidade, aquela em que o colaborador se sente representado.”. 

Em seu site, a empresa trabalha com alguns ideais, incluindo vídeos explicativos, visando o diálogo. Além de uma cartilha sobre diversidade, o Carrefour ainda oferece alguns cursos e um calendários com ações durante o ano.

 

Deixe um comentário

Publicidade