Por Israel Lemos em 27 de fevereiro de 2017

Conheça as três futuras atualizações do Facebook

Foi publicada na última quinta-feira (23), no blog oficial do Facebook (newsroom), a informação de que a rede social quer ajudar seus produtores de conteúdo a monetizarem seus vídeos não só dentro da plataforma, mas também em seus websites e apps. Ainda em fase de testes, as três atualizações serão as seguintes:

– Ad Breaks em vídeos ao vivo para páginas e perfis;
– Ad Breaks em vídeos on-demand no Facebook;
– Todos anunciantes elegíveis podem ganhar dinheiro com anúncios em vídeo in-stream visualizados em seus próprios websites e apps, por meio do Audience Network. 

Agora vamos às questões:

WHO THE HELL IS AD BREAKS?

Sabe aqueles curtos anúncios que aparecem em meio aos vídeos do YouTube? Pois então, daqui a algum tempo eles começarão a aparecer também no Facebook. Claro que o autor precisa permitir e, em troca, receberá parte das receitas dos ads. Mas não é tão simples assim, vocês verão mais adiante.

“Como o nome implica, os Ad Breaks permitem que os criadores insiram curtos intervalos para anúncios durante suas transmissões. […] Os criadores de conteúdo receberão uma parcela da receita publicitária.”  – newsroom. 

E esse tal de Audience Network?

Infelizmente ainda não disponível no Brasil, é uma ferramenta criada também pelo Facebook, que permite ampliar campanhas de ads para além da rede social para alcançar seus públicos em apps, sites móveis e em vídeos, segundo o facebook for business. De acordo com seu objetivo, quando o usuário clica em um anúncio, essa ferramenta pode direcionar o consumidor para ações como: abrir link em nova janela do navegador, pedir instalação de aplicativo ou até abrir aplicativo já instalado no dispositivo.

Mas como iria funcionar?

Para lives, inicialmente, foram feitos testes com uma pequena quantidade de usuários dos Estados Unidos. Hoje, ainda no mesmo País, já estão disponibilizando o recurso para diversos criadores de vídeos ao vivo. Como ainda é muito recente, há alguns requisitos e regras aos que desejam participar como, por exemplo, ter pelo menos 2 mil seguidores e 300 visualizações simultâneas em algum vídeo recente. Quando estiver apto a participar, o usuário receberá uma notificação, como a que aparece a seguir:

Imagem: https://fbnewsroombr.files.wordpress.com/2017/02/ad-break.png

Imagem: https://fbnewsroombr.files.wordpress.com/2017/02/ad-break.png 

O site de informações da rede lembra também que páginas de propriedade intelectual ou padrões de comunidade violados podem ser desqualificados para utilizar as ferramentas de monetização.

Enquanto nos vídeos on demand, ou seja, que já foram publicados pelo usuário e o público assiste a hora que quiser, será possível que os anunciantes incluam também pequenos intervalos de anúncios. Apesar de estar em fase de testes, caminhando a passos curtos, a ideia é expandir para uma maior quantidade de parceiros no futuro.

Por último, mas não menos importante, a experiência de marketing baseado em pessoas, Audience Network, funciona da seguinte maneira: o anunciante faz o upload de um vídeo com antecedência, então os responsáveis pelo gerenciamento fazem um breve leilão de forma que tragam os anúncios que melhor se identificam, trazendo uma melhor experiência a quem tiver assistindo.

Portanto, ainda que distante, está em evidência a crescente valorização dos conteúdos em vídeos e imagens. A moral é aprender desde já como vão funcionar todas essas ferramentas para, quando chegarem ao Brasil, saber tomar a melhor decisão para anunciar ou para definir o melhor meio de monetizar seu vídeos, dependendo de qual lado do processo da comunicação você estiver.

Deixe um comentário

Publicidade