Por Bia Vasco em 24 de março de 2017

Growth Hacking – Experimente.

Na era em que a tecnologia está sofrendo mudanças, com canais em multiníveis e atualizações constantes, conceitos acabam mudando e novas formas de gerenciar e criar acabam surgindo. Hoje o ser humano tem mais autonomia para decidir através das próprias experiências. Com isso, formas inovadoras para conduzir projetos acabam surgindo.

Um novo termo, muito comentado na atualidade, principalmente no universo das Startups, é o Growth Hacking, um novo modelo de marketing focado no crescimento.

O criador do termo dá uma descrição simples e objetiva:

“Growth Hacking é marketing orientado a experimentos.”  (Sean Ellis)

Desmembrando a palavra temos:

  • Growth – crescimento.   
  • Hack – brecha, entrada, corte.
  • Hacking – Encontrar as brechas, caminhos intermediários.

 

Marketing + Engenharia = Crescimento

Growth Hacking é um modelo que através de hacks (facilitadores) impulsiona uma empresa (serviços, lista de clientes, ações…) ao desenvolvimento acelerado.

É baseado em experimentos e testes para verificar melhorias na performance e busca gatilhos rápidos para impulsionar o crescimento. São comuns em estratégias de growth o uso de técnicas de SEO, inbound marketing, testes A/B de conteúdos e canais, sempre amparados por métricas.

Todo o teste precisa de um indicador de desempenho, fracasso ou sucesso, e o profissional focado em experimentos precisa sempre acompanhar e documentar esses resultados. Relatórios periódicos e dados interpretados são sempre essenciais.

Pensando em um planejamento Growth podemos ter um processo comum e simples:

unnamed (1)

Dentro desses processos serão realizadas comparativos constantes, que podem potencializar ou redefinir o projeto durante a execução.

Para se ter uma base, segue uma lista de um conteúdo inspirador sobre canais, tirada do livro “Traction – A Startup Guide to Getting Customers” (Um Guia para Startup para Conquistar Consumidores) de Gabriel Weinberg e Justin Mares, que podem servir como apoio para experimentos.

unnamed

Acredito que com essa “pequena” lista dê pra sentir a extensão de possibilidades e imaginar as inúmeras comparações que podem ser feitas, não é mesmo?

Alguns/todos os itens podem entrar numa lista de testes de desempenho com um número enorme de variáveis, e cabe a quem está realizando o experimento identificar o mais efetivo.

HOWs comuns no Growth

Como economizar tempo?

Como gerar mais resultados?

Como não ter que repetir mais um processo?

Como aumentar a receita?

Como reduzir riscos?

As perguntas feitas tendem a ser mais assertivas, com respostas mais precisas e menos filosóficas.

FICHA RÁPIDA

Growth Science – 5 ítens essenciais

1- Saiba o que seu cliente quer;

2- Saiba onde seu cliente está;

3- Saiba a linguagem que seu público fala;

4- Domine a arte de fazer experimentos ( tudo é possível, até que as métricas digam o contrário);

5- Busque maneiras de automatizar! Experimentos devem ter resultados palpáveis e de preferência rápidos.

Quando usar Growth Hacking

Quando se mostrar necessário, o uso do método atende amplos tamanhos de projetos/empresas e depende do feeling e experiência dos executores.

Características de um profissional de Growth Hacking

– Bom uso e interpretação de métricas;

– Criatividade;

– Curiosidade;

– Ousadia;

– Menos “achismo” e mais comparações;

– Senso crítico;

– Não se apaixonar pelas próprias ideias (Desapega!);

– Menos mimimi e mais testes =)

Em outras palavras, alguém preparado para arriscar, e mais ainda, preparado para os erros.

3 passos para o sucesso com Growth Hacking

Experimente.

Acompanhe…

Comemore! =D

unnamed (2)

É isso aí publicitários, testem, questionem, comparem e, se for preciso, abandonem. O importante é crescer.

Deixe um comentário

Publicidade