Por Tiago Bezerra em 19 de abril de 2017

Imagem acústica

Existem algumas técnicas fundamentais para quem quer começar a escrever roteiro. Seja um Filme Publicitário ou um Longa Metragem, as técnicas básicas se aplicam a todos os tipos de roteiro. Uma delas, que pessoalmente acho incrível, é a Imagem Acústica.

Esse é um termo que vi pela primeira vez num livro do roteirista Jackson Saboya. Segundo SABOYA (1992, p.20), “A imagem acústica, na forma simplificada, é a imagem criada pela nossa imaginação, depois de ouvirmos um som que nos ‘ligue’ a um referencial de tempo, modo, espaço ou ambiência.”

Ou seja, se você faz um take fechado de uma pessoa com vento no rosto, um olhar “perdido” e som de gaivotas, a nossa mente vai associar imediatamente à imagem de uma pessoa contemplando o mar. E com um detalhe muito importante: de um jeito bem barato. Legal, né?!

Agora imagina você com um job incrível na mão, mas com pouca verba pra filmar porque a ideia que você teve pede locações caras. A Imagem Acústica pode te ajudar a encontrar soluções viáveis para a ideia acontecer. Esse é um dos motivos por que acho fundamental.

E uma grande vantagem do som, é que nossos ouvidos não percebem de primeira as repetições de efeitos sonoros. Isso ajuda bastante, porque dá pra usar o mesmo som várias vezes.

Quando a gente escreve um roteiro, tem que levar em consideração todos os elementos envolvidos na percepção de filme. E se a gente puder usar técnicas relativamente simples e fundamentais como a Imagem Acústica para desenvolver nossas ideias é ainda melhor.

Vale a leitura para saber mais sobre Imagem Acústica, Imagem Paralela e mais um monte de técnicas riquíssimas para transformar ideias em bons roteiros.

Para leitura:

SABOYA, Jackson. Manual do Autor Roteirista. Técnicas de roteirização para a TV. Editora Record. (ISBN 85-01-03874-1). Rio de Janeiro, 1992.

Deixe um comentário

Publicidade