Por Ighor Ferreira em 27 de junho de 2017

Ideia do ano em Cannes aborda empoderamento feminino

O Touro de Wall Street ganhou, em 2017, uma adversária um tanto incomum, mas que se mostrou um símbolo de uma discussão atual e importantíssima que ainda precisa ser levada à diversas áreas do cotidiano das pessoas. Posicionada frente à frente do Touro, a McCann de Nova York apresentou ao mundo a “Fearless Girl” (Garota Destemida em tradução livre). A escultura da garotinha com as mãos na cintura, que transparece uma confiança inabalável, enfrenta o símbolo do mercado financeiro agressivo.  

(Imagem: Reprodução/AdWeek)

(Imagem: Reprodução/AdWeek) 

A proposta da Fearless Girl, descrita pelas suas idealizadoras Lizzie Wilson e Tali Gumbiner, era promover a diversidade de gênero em um mercado financeiro maioritariamente masculino, que marginaliza mulheres. A demanda veio da empresa She, que investe única e exclusivamente em empresas que demonstram um compromisso com a diversidade de gênero e a igualdade de direitos entre funcionários.

A ideia concorreu em mais de uma categoria de Cannes e, após receber três prêmios – em Relações Públicas, Exterior e na categoria Glass (que aclama publicidades que discutem assuntos sobre a representação de gêneros) – e comover a grande maioria do júri e dos espectadores do evento, a escultura da garotinha recebeu o Cannes Titanium, maior prêmio de reconhecimento no Festival.

(Imagem: Reprodução/Times Union)

(Imagem: Reprodução/Times Union) 

Grandes nomes da indústria publicitária, como Nizan Guanaes, caracterizaram a ideia como um símbolo do enfrentamento dos medos que não só as mulheres, mas todos os seres humanos têm. Nizan acrescentou dizendo que a Fearless Girl poderia representar também a publicidade, que deveria ser inovadora, corajosa e transformadora.

Deixe um comentário

Publicidade