Por Felipe Faria em 11 de julho de 2017

Projeto da Globo abre espaço para ONG’s manisfestarem suas causas

Desde 2016, a Rede Globo tem investido pesado na mobilização da sociedade para fortalecer não apenas a tolerância, mas o respeito as diferenças, dando espaço para a reflexão ao ampliar a conversa sobre alguns assuntos do nosso cotidiano como racismo, violência, assédio, homofobia e machismo. A ideia principal é incentivar o primeiro passo para uma mudança de atitude.

A primeira fase foi marcada pela veiculação do filme “Fio” nas redes sociais e, logo em seguida, pela união de alguns famosos que abordavam temas como Torcidas Organizadas no futebol, xenofobia, respeito ao idoso, homofobia, racismo, síndrome de Down, violência contra as mulheres e intolerância religiosa.

Na segunda fase do projeto, as ONG’s tomarão as telas da Globo. A emissora cederá espaço para veiculação de alguns filmes. O estreante será o Instituto Sou da Paz com o filme “Inteligência Artificial”. A produção aborda o impacto da tecnologia e dos robôs na sociedade, enquanto a violência ainda permanece nas relações entre as pessoas. Confira:

Instituto Sou da Paz pesquisa e analisa dados sobre violência e atua pela efetivação e aprimoramento de políticas públicas de segurança. Atualmente, são registradas no país 59 mil mortes por assassinato por ano – a grande maioria por armas de fogo. A produção do filme teve apoio da Tech and Soul.

Também estarão ao lado da Globo as instituições Anistia Internacional, Centro de Articulação para Populações Marginalizadas (CEAP), Comissão de Combate à Intolerância Religiosa (CCIR), Central Única das Favelas (CUFA), Grupo Dignidade, Instituto Velho Amigo, MetaSocial, Movimento Down e Viva Rio.

Deixe um comentário

Publicidade