Por Ighor Ferreira em 25 de julho de 2017

Reino Unido dá grande passo para abolir estereótipos de gênero na publicidade

Assim como o CONAR (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária) atua no Brasil, a ASA (Advertising Standards Authority) – ou Autoridade de Padrões Publicitários, em tradução livre – é responsável pela regulamentação publicitária no Reino Unido. Recentemente, o órgão determinou em um documento oficial que, a partir de 2018, todas as formas de publicidade criadas e veiculadas dentro dos 4 países estão proibidas de transmitirem e reproduzirem estereótipos de gênero.

(Imagem: Reprodução/Wikipedia)

(Imagem: Reprodução/Wikipedia) 

Essa decisão afeta, por exemplo, anúncios que rotulam produtos e comportamentos como sendo “de menina” ou “de menino”, ou, por exemplo, mulheres limpando a casa enquanto os outros atores não exercem a mesma atividade. A ASA afirmou no documento oficial que a perpetuação de valores sexistas gera “custos para os indivíduos, para a economia e a sociedade” e que, portanto, não é necessário abordar tais valores, principalmente em meio de grande circulação.

O documento traz ainda 6 pontos que devem ser evitados para que não haja possibilidade de interpretações ou leituras negativas:

– Definir profissões ou cargos como sendo algo para homem ou mulher. Exemplo: mulher sendo bailarina, enquanto o homem é o engenheiro;
– Definir atributos ou comportamentos de acordo com um gênero específico. Exemplo: mulher de TPM e irritada;
– Fazer piadas com grupos ou pessoas que não se encaixam em determinado estereótipo;
– Retratar indivíduos de maneira altamente sexualizada;
– Dar foco somente aos atributos físicos do ator ou atriz;
– Definir o que é um corpo saudável ou doente.

A medida veio logo após o acordo proposto pela ONU, chamado de Aliança sem Estereótipo, assinado por cerca de 25 líderes empresariais como Unilever, Google e Facebook para combater a reprodução de estereótipos a nível global, e será implantada inicialmente apenas no Reino Unido e depois será expandida para outros países como Espanha, Alemanha, Índia, Itália, África do Sul, Canadá e França.

Deixe um comentário

Publicidade