Por Tiago Bezerra em 1 de setembro de 2017

Técnicas de cinema que funcionam perfeitamente na propaganda

Cinema e comunicação frequentam os mesmos almoços de domingo e isso não é surpresa pra ninguém. Afinal, a linguagem do cinema é uma forma de comunicação e propaganda, por exemplo, se apropriou de várias técnicas da sétima arte para criar campanhas memoráveis ao longo do tempo. Mas ainda assim, um sempre tem o que aprender com o outro.

Em uma palestra recente que assisti sobre roteiro, ouvi dicas incríveis para cinema que podem ser aplicadas perfeitamente na construção de ideias nos Jobs nossos de cada dia.

Dica nº 1: Construa cenas que não dependem de diálogo para serem entendidas. Explorar o máximo de linguagem não-verbal nos força a pensar mais na ideia e menos nos recursos do texto, como jogo de palavras e “trocadalhos”. Então, se a ideia puder ser entendida sem texto, ótimo. Se precisar de texto, que seja o mais direto, necessário e inteligente possível. Caso contrário, delete tudo.

Dica nº 2: Tenha um “elemento-chave” na sua história. Não é necessariamente um objeto. Pode ser um animal, a chuva, uma casa, uma cidade, por exemplo. A intenção desse substantivo é dar uma espécie de chão para sua história. Um elemento para o drama do protagonista interagir. Um exemplo bem bacana é no filme “Mais Estranho que a Ficção” (Roteiro de Zach Helm e Direção: Marc Forster) que tem o relógio de Harold Crick (Will Ferrell) como esse “elemento-chave”.

Gostei muito dessas dicas. Se eu fosse você, já dava aí uma googada nas ideias premiadas este ano e tentava achar essas dicas na construção delas. Eu já estou fazendo isso.

Deixe um comentário

Publicidade