Por Bruno Haulfermet em 27 de setembro de 2017

Quando a Comic Sans invade marcas famosas

Quem é da criação sabe: falando de fonte, a Helvetica é uma das mais queridas, se não a preferida. É o paraíso, a menina dos olhos, aquela que dá uma força no job. E é claro que se existe o céu, o inferno também está lá. E o pesadelo das fontes igualmente tem nome: Comic Sans.

Encontrada em praticamente todos os tipos de peças, sejam online ou offline, não é difícil reconhecer seus contornos redondos e irregulares. Não se sabe ao certo o motivo de tanta repulsa – talvez pelo fato de ela ser aplicada indiscriminadamente em tudo -, mas é fato que em algum momento você vai se deparar com um cliente mostrando-a como referência.

E para tirar a prova de que utilizar Comic Sans pode ser um tiro no pé, o designer russo Oleg Tarasov criou o projeto Not a Strong Mark, que coloca à prova logos famosas com as fontes substituídas pela Comic Sans, e questiona se o impacto visual seria o mesmo.

Dá uma espiada abaixo e divida suas conclusões com a gente:

(Imagem: Reprodução)

(Imagem: Reprodução)

(Imagem: Reprodução)

(Imagem: Reprodução)

(Imagem: Reprodução)

(Imagem: Reprodução)

(Imagem: Reprodução)

(Imagem: Reprodução)

(Imagem: Reprodução)

(Imagem: Reprodução)

(Imagem: Reprodução)

(Imagem: Reprodução)

(Imagem: Reprodução)

(Imagem: Reprodução)

(Imagem: Reprodução)

(Imagem: Reprodução)

(Imagem: Reprodução)

(Imagem: Reprodução)

(Imagem: Reprodução)

(Imagem: Reprodução)

(Imagem: Reprodução)

(Imagem: Reprodução)

(Imagem: Reprodução)

(Imagem: Reprodução)

(Imagem: Reprodução)

(Imagem: Reprodução)

(Imagem: Reprodução)

(Imagem: Reprodução)

Fonte. 

Deixe um comentário

Publicidade