Por Bia Vasco em 4 de outubro de 2017

Absolut: quando a arte resiste.

No início do mês passado houve um grande tumulto no meio artístico com a exposição Queermuseu, montada pelo Santander Cultural, que gerou polêmica, ações judiciais e algumas contas canceladas. A exposição defendia a liberdade artística e a quebra do conservadorismo na arte enfatizando a sexualidade e levantando muitos questionamentos relacionados ao universo LGBT. Agora, a nova marca a levantar a bandeira de quebra de conservadorismo artístico é a Vodca sueca “Absolut”.

Absolut Art Resistance é um filme criado a partir das identidades visuais da vodca desde a década de 70. As embalagens foram usadas como base para levantar as questões conservadoras e preconceitos cotidianos ao longo dos anos. Confira: 

A assinatura é “Quando a arte resiste, o mundo progride”. A principal proposta do projeto é a resistência artística através da celebração, homenageando a causa LGBTQ. As cantoras Mc Linn da Quebrada e As Bahias e a Cozinha Mineira participarão de ações futuras da marca. Confira o site

Falando de maneira prática, Absolut não tem o mesmo conteúdo de Quermuseum. O projeto é contido, absolutamente diferente da exposição anterior. Mas talvez a proposta tenha sido feita em um momento errado, gerando a associação. O Rage nas redes sociais segue alto e muitos clientes já pensam em boicote.

(Imagem: Reprodução/Facebook)

(Imagem: Reprodução/Facebook)

 

É antiético defender ou acusar marcas sobre apoio, ou não, à manifestações anteriores, mas uma coisa é certa: significados e responsabilidades mudam de acordo com o time. Qualquer conteúdo gerado deve observar o cenário e o momento em que está inserido. Talvez, o mesmo filme fosse aplaudido com unanimidade meses atrás.

Ainda existe dúvida para alguém sobre a interferência do contexto no conteúdo?

 

Ficha técnica do filme “Art Resistence”:

Idealização do filme: LiveAd.
Produção: O2 Filmes.
Trilha assinada: Croacia. 

Deixe um comentário

Publicidade