Por Tiago Bezerra em 23 de outubro de 2017

Muita vontade e um pouco de talento

Infelizmente não sou da geração que viu Seu Arthur Antunes Coimbra jogar. Dizem que o Zico nem sempre entrava em campo com o brilho do gênio que foi. Dizem que nem sempre ele fazia jogadas incríveis o jogo todo. Mas dizem também que quando começava a partida e ele sentia que não ia jogar tão bem, Zico corria feito louco, marcava, dava carrinho, roubava bola. Tenho pra mim que essa combinação entre talento e vontade que fez do Zico a entidade futebolística que é até hoje.

Outro ser mítico que dissertou sobre talento e vontade foi Washington Olivetto. Em um bate-papo desses gravados para o Youtube, ele disse o que considera o segredo para o criativo se dar bem na publicidade. Foi mais ou menos assim:

– “É preciso ter sorte, muita vontade e um pouco de talento.”

O recado está dado. Os grandes publicitários brilham com dezenas de trabalhos memoráveis. Mas você já se perguntou quantas centenas eles fizeram entre um brilhante e outro? Quantas jogadas o Zico tentava para acertar uma? Quantas faltas ele bateu no treino antes de ser escolhido para cobrar no jogo? Faça a você mesmo essas perguntas todos os dias. É um bom exercício mental.

Se você realmente quer brilhar, você precisa dobrar ou triplicar a vontade e correr feito louco, marcar pressão, tentar 10, 20, 100 vezes e suar a camisa. Não é fácil, não é para todos, porque são poucos que conseguem manter a garra até o fim do jogo. Mas o jogo só para quando o juiz apita. Não desista de brilhar.

Deixe um comentário

Publicidade