Por Israel Lemos em 30 de outubro de 2017

DOGTV e seu “público-auvo”.

Ainda nesse mês de outubro, a Discovery trouxe para o Brasil o primeiro canal de televisão para cães: o DOGTV. O objetivo dos programas varia de acordo com a hora do dia, mas, de modo geral, a ideia é relaxar ou estimular o pet, com foco naqueles que ficam sozinhos em casa quando seus donos saem para trabalhar.

Confira um trecho de um programa para estímulo canino:

DE ONDE SAIU ISSO?

De acordo com a Folha de São Paulo, o canal foi criado e desenvolvido em 2013, nos Estados Unidos, com conteúdo especial para os cérebros caninos. Os programas não possuem locução humana e nem latidos (que irritam alguns deles). Além disso, são gravados do ponto de vista dos catioríneos, nas cores que conseguem enxergar auxiliados por correção de cor.

POR QUÊ?

Segundo a Adnews, existem 600 milhões de cães de estimação no mundo, sendo 52 milhões apenas no Brasil. E junto ao crescimento do mercado de pets, tem despertado – cada vez mais – a consciência humana sobre os cuidados que se deve ter com a saúde e bem-estar deles.

O conteúdo apresentado pelo canal é fruto de uma análise de 68 estudos acadêmicos e do trabalho de quatro especialistas em comportamento canino. A preocupação vai do conteúdo, cores, temas e escalas tonais atraentes aos cãezinhos até a sonoridade – com frequências, timbres e volumes agradáveis.

Em um vídeo publicado em seu canal do YouTube, a DOGTV demonstra a correção de cor direcionada especialmente aos pets. Vale registrar que em vários comentários o feedback é negativo e o cãozinho ignorou o programa:

(Imagem: Reprodução/YouTube | quadrantes superiores mostram a visão humana e os inferiores, a canina)

(Imagem: Reprodução/YouTube | quadrantes superiores mostram a visão humana e os inferiores, a canina)

 

Elogiando o Brasil, o CEO da DOGTV falou sobre a expansão do canal em parceria com o Discovery:

depoimento

NÚMEROS INTERESSANTES DO BRASIL SOBRE CÃES

– 44% dos lares tem um cão de estimação (mais do que crianças);

– 30% dos donos o consideram um membro da família;

– 29% dos donos o consideram a criança da casa;

– 3º maior mercado do mundo (atrás dos EUA e Reino Unido), movimentando cerca de R$ 20,7 bilhões por ano.

(Fonte: Adnews)

Apesar de necessitar de contratação, o canal DOGTV já está disponível na Sky e até o fim do ano deve chegar na NET e Claro TV. A Vivo só disponibilizará em 2018.

sky

PARA CONCLUIR E QUESTIONAR

É possível avaliar o mercado de pets de maneira positiva, mas e quanto a um canal de televisão fechado e exclusivo para eles? Levando em conta que são 52 milhões de cães no Brasil, quantos donos pagariam a mais para ter o canal? Ou melhor: quantos possuem tv a cabo em casa? Ou ainda: quantos ficam dentro de casa, ao invés da rua? E quantos ainda não tem nem o que comer todos os dias, imagina se dar esse luxo?

Aqui foram levantadas pouquíssimas questões, mas dá pra notar que, por ora, pelo menos no Brasil, o público-alvo ainda é extremamente seleto. Se eu tivesse que prever, diria que até os nossos cães tem mais o que fazer.

"– Com licença, mas você vai comer isto?" (Imagem: Reprodução/ Pinterest)

“– Com licença, mas você vai comer isto?” (Imagem: Reprodução/ Pinterest)

E aos que aderirem ao canal, será que vai ser só enquanto os catioríneos estiverem sozinhos, ou vão usar o canal como forma de entretenimento para eles, da mesma forma que fazem com celulares e tablets com seus filhos? Deixe aí nos comentários o que você pensa a respeito! :)

(Imagem: Reprodução/Pinterest)

(Imagem: Reprodução/Pinterest)


Deixe um comentário

Publicidade