Por Bia Vasco em 17 de novembro de 2017

Tang é multada por propaganda enganosa

Nos últimos dias, a empresa Mondelez Brasil, responsável pelo suco Tang que já lançou muitas propagandas lindas e alegrou algumas infâncias, recebeu um processinho e acaba de ser multada em 1 milhão pela Secretaria Nacional do Consumidor do Ministério da Justiça (Senacon/MJ) por uso de má-fé na embalagem do seu produto.

O antigo “melhor gostinho da fruta”, na verdade, pouco tem de fruta. O processo aconteceu baseado nas leis do consumidor no mérito de má-fé objetiva (ludibriar o consumidor para realizar a venda).

Confira o código do consumidor aqui

Veja as formações que aparecem na embalagem:

 

(Imagem: Reprodução/Internet)

(Imagem: Reprodução/Internet)

“Sem corantes artificiais”.


Segundo  um dos responsáveis pelo processo, 
essa informação induz o consumidor a acreditar tratar-se de produto natural e mais saudável”.

A complementação da informação, de que compunham a fórmula outros corantes, era essencial ao exercício da liberdade de escolha e à plena informação dos consumidores” acrescenta Arthur Rollo, Secretário Nacional do Consumidor.

Para algumas pessoas, é claro que isso não faz o menor sentido – só está escrito ali pra vender, até porque é perceptível que as cores são irreais. Mas, como foi dito, poucos são aqueles que possuem essa percepção. 

Ainda existem aquelas que acreditam em algumas informações, e também que a bebida tem vitaminas e é mais saudável pois possui “pouca química”.

Fato é, a empresa oculta a informação sobre a presença de corantes (inorgânico e caramelo).

Pela lei, corantes seriam o aditivos:

I – ADITIVO ALIMENTAR é qualquer ingrediente adicionado intencionalmente aos alimentos,
sem propósito de nutrir, com o objetivo de modificar as características físicas, químicas,
biológicas ou sensoriais, durante a fabricação, processamento, preparação, tratamento,
embalagem, acondicionamento, armazenagem, transporte ou manipulação de um alimento.

 

A resposta vinda de um representante da marca:

Sobre a publicidade, a empresa respeita integralmente as normas do Conar e a legislação nacional em vigor. Mantemos nosso compromisso e relação de transparência com todos os consumidores” – Mondelez Brasil.

 

Com isso, aprendemos que vender através de propaganda enganosa é, além de desonesto, passível de punição. E além de dinheiro, a reputação da marca é perdida.

Ainda não se sabe se haverá uma retratação ou se a empresa vai deixar as coisas esfriarem. 

A quem tiver interesse, seguem anexas as Regras Básicas de propaganda – ANVISA aqui.

Deixe um comentário

Publicidade