Digite para buscar

Plugcitários entrevista André Holzmeister, criador de diversas aberturas de novelas da Globo

Erickson Monteiro 14 de junho de 2012
Share

Foto: Carla Camila

Designer de personagens, ex-professor de animação e modelagem, generalista 3D, passou pela TV Globo/Videographics e hoje, Head of CG da CUBOCC/Iceland 2nd Nation (IPG), são exemplos dos caminhos que André Holzmeister vem trilhando em sua carreira atualmente.

O Plugcitários teve a honra de encontrar com o André Holzmeister durante o Adobe Camp Brasil, e batemos um bom papo sobre animações em 3D e advergames.

Como é trabalhar com animação 3D?

É só diversão [risos]. Sacanagem, Sacanagem… Junto com a diversão tem bastante suor, é um trabalho sempre muito divertido de fazer, mas demanda muito tempo para ficar fod#, todo mundo que trabalha com isso quer deixar fod# pra caralh#. Geralmente você trabalha mais horas do que o projeto tem, quem trabalha com isso entende perfeitamente sobre o que estou falando. É difícil dizer que não é divertido, mas tudo tem processos, para fazer um game você não chega com seus amigos e “Vamos fazer um game!” Você pode até fazer isso, mas requer um processo já estabelecido. Lá onde trabalho numa época em que eu estava de férias, rolou aquele viral do bullying sobre um gordão na escola, que o “maguinho” ficou batendo no gordão e de repente o gordão deu um golpe de Street Figth. A galera de onde trabalho viu e achou aquilo engraçado, com isso decidiram fazer o jogo do Zangief Kid Fight. Eles sentaram e desenvolveram um game muito simples e divertido, feito em uma semana e dois dias, esse é um exemplo de amigos que se juntaram e resolveram fazer um jogo e fizeram, mas eles já sabem como desenvolver, fizeram uma coisa muito simples e o resultado foi fod# e viralizou graças ao viral que já era o vídeo.

Como foi sua experiência na TV Globo?

Foi um período que eu aprendi muito com uma galera muito fod#. Devo uma boa parte do meu aprendizado para aquela galera, eu também ensinei muitas coisas para os caras, aprendemos muitas coisas juntos, era uma quantidade de gente muito grande e tenho certeza que extrai deles mais do que dei. Além disso, a realização dos projetos que veio de lá guardo com muito carinho, como algumas aberturas de novelas e programas de TV que foram memoráveis para mim, exemplos como: Abertura de Pé na Jaca, abertura de Bang Bang, abertura Hoje é Dia de Maria 1 e 2, abertura de Sob Nova Direção, essas são algumas que guardo com muito carinho, foram divertidas de fazer e teve muito suor no final de cada uma delas, mas valeu cada gota.

httpv://youtu.be/MIphtfGVbJY

httpv://youtu.be/kZUOTE9FS-8

O que você acha do mercado de Advergames aqui no Brasil?

Ainda é um mercado um pouco oscilante, um mercado crescente, é um tipo de mídia que só tende a ficar cada vez mais presente. É uma forma de uma marca aproveitar para aumentar o contato com o consumidor de uma maneira que nenhum comercial de TV consegue gerar essa aproximação, eu não vejo como isso não ser explorado daqui pra frente cada vez mais. É um mercado que ainda, pequeno, mas tem um potencial enorme. Temos muitos profissionais capacitados para desenvolver projetos de games no nosso mercado, geralmente os mais capacitados estão fora do país trabalhando possivelmente com games “AA” que são games de primeira linha e realmente aqui não tem uma escolaridade que descubra essa necessidade que o mercado tem. À medida que o mercado for crescendo a demanda para esses profissionais serão cada vez maior, porém ainda não estamos preparados para essa grande demanda, pois temos muita gente talentosa, mas poucas experientes. Até porque é um segmento novo no Brasil, eu mesmo comecei a trabalhar com advergames faz uns três anos, já desenvolvemos games que da de 1.000 a 0 em games produzidos em mercados como o de Londres que é considerado um mercado superior. Talvez seja um termômetro, por a gente estar investindo mais grana que eles, que já são um mercado bem mais madurecido. Não que eles sejam piores, mas acho que por ser um mercado melhor, os grandes profissionais de lá estão mais focados em games normais e não em advergames. Com isso acaba sobrando poucos bons para os advergames. Mas aqui temos muita gente talentosa com sangue nos olhos, querendo aprender e usando isso até como catapulta para trabalhar em outros mercados.

Qual sua maior inspiração profissional?

Eu tenho uma inspiração muito grande por profissionais de design de personagens, tipo uma série de livros chamados de Hector Plasm que eu tenho quase todos deles, perdi a segunda edição e se alguém quiser me presentear um dia com a segunda edição eu agradeço muito [risos], mas infelizmente eu nunca conseguir achar essa segunda edição. Ali dentro tem inúmeros profissionais de design de personagens bem diferentes, desde cartuns bem fofinhos até coisas muito esquisitas que me agradam muito e na parte de efeitos em 3D fod#s. Tipo na parte de filmes eu decidi trabalhar com 3D depois que vi o Jurassic Park, eu sai do cinema e pensei “put# merd# é isso que eu quero fazer na minha vida”, apesar de eu não ter seguido muito para essas coisas de efeitos de realismo é uma fonte de inspiração infinita.

Qual sua criação favorita?

Pergunta difícil… Talvez eu tenha curtido mais fazer Bang Bang, foi uma que realmente achei gostosa de fazer, acabei animando todo o filme, naquela época só era eu de animador de personagem, foi bem suado de fazer. É… Podemos usar Bang Bang como exemplo. Não é que seja a principal, mas vou ficar com ela.

httpv://youtu.be/DZ4OhIC9jg8

Qual dica você dá para a galera que está entrando no mercado de Game e Animação 3D?

Se você não está conseguindo arrumar um emprego nessa área monte o seu próprio negócio, foi assim que fiz na época, pois diferente de hoje, antigamente havia poucos lugares para se trabalhar com isso. Atualmente se tem mercados que são mais carentes tanto de profissionais quanto de lugares que trabalhem com isso. Desenvolvam seus próprios projetos, abram sua empresa nem que ela seja uma incubadora no início com duas ou três pessoas, trabalhando juntos para desenvolver mais e mais. O importante é sempre estudar muito, esse ramo é um estudo eterno, pois a tecnologia evolui muito rápido, é a primeira coisa que se você dormir a onda leva, então procure ficar sempre muito antenado. Todo mundo tem que estudar muito, por exemplo, o animador nunca vai estar satisfeito com o que fez, ele sempre vai querer fazer melhor, pois ele sempre vai ter aquela noção que pode melhorar muito. É por ai… Estudo e correr atrás.

Foto: Carla Camila

Tags:
Erickson Monteiro

Criador e administrador do Blog Plugcitários. Está no mercado publicitário há 6 anos. Já passou por 7 agências de publicidade. Palestrante em diversos eventos de comunicação pelo Brasil. Trabalhou com alguns clientes nacionais em gerenciamento e planejamento de redes sociais.

  • 1

You Might also Like