Digite para buscar

Por que confundimos mídia social com rede social?

Felipe Nogs 13 de setembro de 2012
Share

Antes de iniciar, quero agradecer ao amigo Erickson Monteiro pelo espaço para proliferar um pouco minhas – loucas – ideias e conceitos adquiridos nessa caminhada profissional. Para os que não me conhecem, sou Felipe Nogueira (conhecido como Felipe Nogs), estudo e analiso as redes sociais há 2 anos, sou bacharelando em comunicação social (jornalismo) e também trabalho com isso prestando consultoria e desenvolvimento de estratégias sociais. Tenho uma agência de marketing digital – Nogs Marketing & Network – e apresentei um artigo acadêmico sobre As mudanças do Facebook e os Impactos para as Organizações no XXXV Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação – INTERCOM.

Hoje em dia são tantas as plataformas e meios que, com toda essa miscelânea, acabamos ficando até confusos. Afinal, o que de fato emite e recebe? Tenho certeza que você, amigo estudante ou não de comunicação, já se perguntou isso ou ao menos se deparou com essa discussão: Somos emissores ou receptores?

Com tamanha convergência de mídias e proliferação de tecnologias de comunicação, têm sido cada vez mais difícil definir a questão “emissor e receptor”, já que graças a mídia social temos a incrível possibilidade de interagir e conversar. A pergunta que fica é: por que sempre confundimos mídia social com rede social?

Tudo começou quando vi diversas pessoas falando “O bom das mídias sociais” ou “Vagas para analista de mídias sociais”, e pensei comigo: “se nem as empresas sabem diferenciar, aonde vamos parar?”. OK, não é obrigação dela saber diferenciar, mas é obrigação do profissional que trabalha com isso saber muito bem sobre o assunto.

SAFKO e K.BRACKE defende que mídia social se refere às atividades práticas e comportamentos entre as comunidades de pessoas, que se reúnem de forma on-line para compartilhar informações, conhecimentos e opiniões usando a mídia de conversação. Ao passo que a mídia de conversação são aplicativos baseados na Web que permitem criar e transmitir facilmente conteúdos na forma de palavras, imagens, vídeos e áudios.

Traduzindo de maneira mais clara: mídia social pode ser definido ou explicado como uma produção de conteúdos de maneira totalmente descentralizada ou que tenha algum cunho editorial de grandes grupos. É uma produção de muitos para muitos. E está aí a grande discussão de “emissor x receptor”, pois com ela, é possível emitir e receber como as pessoas desejarem. 

O Facebook e o Orkut (ou o abandonado Google +) não passam de ferramentas dessa mídia. O espaço é utilizado para criar esse tipo de conteúdo e proliferá-lo por lá. Adoro esse conceito de “é um conteúdo de todos para todos” pois se trata do ápice da democracia e do poder de mídia na mão do povo. Claro, que não é tão simples assim, já que é preciso construir um – extenso – caminho de visibilidade, popularidade, reputação e autoridade nesses espaços.

Já as redes sociais (no plural) existem há milhares de anos. A formação de uma comunidade – ou propriamente de uma sociedade – já constitui-se uma rede social que, segundo o Wikipedia, é uma estrutura social composta por pessoas e/ou organizações, conectadas por um ou vários tipos de relações que partilham valores e objetivos comuns. O interessante nas redes sociais é que não se trata propriamente de uma estrutura e sim de um sistema aberto e poroso, possibilitando relacionamentos horizontais e não hierárquicos entre participantes.

Por isso o Facebook não é uma rede social, e sim uma ferramenta das redes sociais. Consideramos redes sociais no Facebook os grupos ou páginas, no Google + seriam os círculos, mas… como há pouca popularidade, é melhor não falarmos muito. Brincadeiras à parte, a partir de hoje, você – amigo leitor – nunca mais vai poder confundir Mídia Social com Redes Sociais, pois agora sabe da diferença nos termos.

Por que confundimos? Porque um complementa e está inserido no outro. A mídia social se aplica dentro dos sites de redes sociais, mas não existe mais de uma mídia social. É como que se esse termo fosse um substantivo que explicasse tudo o que acontece nas redes sociais. Prometa para mim que à partir de hoje nunca mais você fará essa confusão ok?

Tags:

You Might also Like