Digite para buscar

Tags: , ,

Estudar para fazer o que todo mundo acha que sabe

Gabriela Araújo 31 de Janeiro de 2014
Share

dia-do-publicitario (3)

Navegando pelo Facebook, compartilhei esse post: “Ser publicitário é estudar para fazer o que todo mundo acha que sabe”, pois estou me identificando muito com ele. Nós entramos para a faculdade cheios de sonhos e expectativas, e ao longo do tempo vão cortando nossas asinhas. Familiares, amigos, colegas de faculdade, chefes, e às vezes até professores: sim, todos vão te por no chão. Mas não é a intenção deles.

Eu mal cheguei à formatura e já estou desencantando com a profissão. Exagero? Um pouco. Como tantos outros, escolhi a profissão que faz meus olhos brilharem e o coração bater mais forte. Sim, é paixão! Mas assim que nós saímos da faculdade, após uma enorme batalha para sobreviver ao TCC e uma honrosa conclusão, o que acontece?

Seu chefe pensa que você tem que jogar seu diploma no lixo, e fazer o que vem na cabeça dele. O filho do cliente que acabou de sair da escola reprova todas suas campanhas, e aprova coisas medonhas que até Deus duvida. Seus amigos que fazem qualquer outro curso sabem mais de publicidade que você.  E claro, as provas e trabalhos deles sempre serão mais difíceis que os seus. Sua família ou amigos próximos te ligam, e ocorre o seguinte diálogo:

– Sabe o que é, agora eu estou trabalhando e não vai dar.

– Ah é, esqueci que você trabalha!

Ah, esqueci de mencionar; no seu primeiro dia de férias, vão te acordar cedo para fazer alguma coisa, pois “você não está fazendo nada”. Gostaria de confidenciar que, por vezes, penso em jogar tudo para o alto para fazer medicina, engenharia ou direito, só para obter a aprovação dos demais. Não se assustem! É uma vontade que vai embora tão rápido como chegou, afinal, nós publicitários temos uma característica em comum: não gostamos de ser iguais a ninguém.

Eu aprendi que o publicitário tem que ser um profissional muito humilde, afinal, temos que engolir muitos sapos ao longo da faculdade e carreira! O que é difícil, pois somos muito orgulhosos do trabalho que fazemos. Li uma vez, em algumas linhas do slideshare, que até pessoas inteligentes e sensatas mudam completamente quando são clientes. O senso crítico aflora de uma maneira que, o trabalho sendo bem pago, mal pago ou um mero favor, nada estará bom para eles. Sinto que há uma verdade nisso!

O desgosto pela profissão vem quando o bom trabalho é arquivado, e o malfeito é veiculado. Nessas horas eu penso em jogar tudo para o alto e vender hot-dog na 25 de março, pois deve haver menos reclamações! Mas eu sou publicitária, e não desisto de colocar campanhas bem feitas nas ruas. E claro, nós também conseguimos a aprovação de muitas coisas boas!

Esse desabafo não foi para fazer ninguém desistir da faculdade, mas para lançar uma pergunta: alguém mais se sente dessa mesma maneira?

Antes que eu me esqueça: feliz dia do publicitário!

 

Tags:
Gabriela Araújo

Enquanto tento não pirar após ter me formado em Publicidade, trabalho como planner digital e social media no interior de São Paulo - viajando em qualquer fim-de-semana que der uma brecha. Meta de vida: trabalhar como publicitária em uma casinha na praia com uma biblioteca enorme.

  • 1

You Might also Like