Digite para buscar

Greenpeace ataca P&G em campanha

Gabriela Araújo 10 de Março de 2014
Share

head-and-shoulders

O Greenpeace é conhecido por suas campanhas impactantes de conscientização ambiental pelo mundo, e principalmente na falta de papas na língua na hora de atacar quem for que esteja fazendo mal ao nosso ecossistema – mesmo que seja uma das maiores empresas do planeta.

Eu particularmente adoro o modo como o Greenpeace não tem medo de fazer inimigos poderosos por onde passa, e a última campanha da ONG no Brasil me chamou atenção: estão enchendo minhas caixas de e-mail, quase que diariamente, com o título: Veja o que a P&G não mostra nos comerciais”. 

Para fazer sua campanha contra o produto Head & Shoulders, que utiliza óleo de palma oriundo de desmatamento ilegal em sua composição, a ONG vem desmentindo toda a propaganda meticulosamente preparada para arrebatar os nossos corações:

“A Procter & Gamble, fabricante do Head & Shoulders, colocou nas ruas uma campanha publicitária chamada “Obrigado, mãe”, mostrando sobre como os produtos P&G ajudam mães na criação de seus filhos.
A P&G usa óleo de palma em vários produtos que você utiliza no seu dia a dia. Eles consideram suas praticas sustentáveis, mas nós fizemos um vídeo revelando o segredo sujo, que eles não querem que você saiba: o que acontece de fato nas florestas na Indonésia.”

A grande sacada da campanha é criticar a empresa que se diz apoiadora das mães e de uma maternidade saudável, enquanto faz órfãos na floresta. É nesses momentos que eu penso como a publicidade é uma faca de dois gumes. Na verdade, é quase como um carro: é necessário no nosso dia a dia, mas se o utilizarmos de modo errado podemos transformá-lo em uma arma. E uma arma não faz distinção entre culpados, inocentes e quem aperta o gatilho.

Por isso, colegas publicitários, cuidado com suas campanhas; por melhor que forem, alguém pode utilizar sua sacada para te desmoralizar. Afinal, como diziam na faculdade, nem a melhor propaganda do mundo melhora um produto ruim.

Tags:
Gabriela Araújo

Enquanto tento não pirar após ter me formado em Publicidade, trabalho como planner digital e social media no interior de São Paulo - viajando em qualquer fim-de-semana que der uma brecha. Meta de vida: trabalhar como publicitária em uma casinha na praia com uma biblioteca enorme.

  • 1