Digite para buscar

A publicidade em uma banda de rock

Mayara Sousa 25 de junho de 2014
Share

Em todo lugar, lá está ela. A extensão da publicidade é imensurável, ela começa quando você quer vender seu carro velho, passa pela TV, rádio, jornais, revistas, avança na internet, engloba uma banda de rock e mantém-se em um círculo constante e incessante que nos cerca diariamente. Publicidade todos nós fazemos, mas é preciso ter domínio para alcançar objetivos, mensurar resultados e tê-la como aliado. Pois bem, ela entra nos âmbitos musicais da banda de rock Scalene, que vêm conquistando a cena sempre em tom criativo e cheio de publicidade de forma irreverente.

Scalene

Desde o início da banda, ainda em proporções menores, o Scalene atenta-se a publicidade. Seja pelos integrantes Gustavo Bertoni, Tomás Bertoni, Lucas Furtado e Philipe Nogueira, por uma assessoria de imprensa, ou ambos, branding, clipping e mídias sociais fazem parte do processo criativo da banda.

Para que a relação banda/público seja efetiva, o Scalene realiza ações que começam a partir de um brainstorm, seguido de reuniões e atribuições de tarefas e de como, quando, onde e com quem será executada a ação. Sugestões e feedback também fazem parte do processo. Planejamentos são as bases para formularem essas ações, e dessa forma, surgiu o videoclipe “Danse Macabre”, de modo pretencioso, mostrando a nova fase da banda.

Uma outra ação instigante do Scalene, foi o videoclipe “Amanheceu”, a música é bastante simbólica para a banda, que promoveu uma ação convidativa no Instagram para que fãs e quem quisesse participar homenageassem suas mães no Dia das Mães. A ação proposta era para que postassem fotos com as mães inserindo a hashtag “ScaleneAmanheceu”, tornando a foto parte do cenário do clipe. O retorno foi grande, tanto em números quanto em realização, o trabalho da banda marcou e emocionou o público.

O senso publicitário da banda é apurado e suas ações bem executadas, eles buscam inspirações em diversos lugares e observam como outras bandas que os agradam se comunicam nas mídias sociais, como trabalham e promovem ações. E inteirados do que acontecem e cientes da importância da comunicação online, atualizam a fan page diariamente, atentos ao engajamento e interesse do público. Preocupam-se com estatísticas, mas sem perderem o jeito old school de encarar a música como arte. Também trabalham com merchandising, leva de camisetas, adesivos e canecas que levam nome e conceito da banda, que acabam sendo mais uma forma de divulgação em vários Estados.

Para os Scalenos, todas as atividades humanas podem beneficiar-se com a publicidade, assim como eles, colocando quem não faz seu uso em desvantagem. O interesse da banda pela publicidade dá-se, segundo Gustavo, pelo fato de que “Foi-se o tempo em que o músico só precisava saber tocar. A internet é um mundo riquíssimo, repleto de imundície e de beleza, solo fértil para dissonância cognitiva, prato cheio para psicólogos e sociólogos. Cabe a nós tentar entender um pouco disso tudo e de alguma forma se sobressair. Sobreviver no mundo na música é completamente relativo, pois cada músico tem sua ambição. Mas para empreender e se destacar nesse ramo, é vital incluir publicidade no pacote”.

Mayara Sousa

23 anos. Publicitária, cinéfila e comilona. Nascida em Goiânia, descobriu-se para a comunicação aos 19 anos e desde então vem dedicando-se à área. Dando início e foco ao audiovisual, mas sem abandonar a redação. Entusiasta da música, séries, livros e, claro, uma xícara cheia de café.

  • 1