Digite para buscar

“A minha empregada”: um relato sobre preconceito nas redes sociais

Gabriela Araújo 11 de julho de 2014
Share

empregada-capa

A escravidão já acabou, mas o preconceito ficou. Mas dessa vez não falo de negros, e sim de servidão. Não importa a raça ou a cor, parece que algumas pessoas se sentem donas de outras apenas porque pagam seu salário – por precisarem de seus serviços.

O assunto “empregada doméstica” sempre foi polemico, e está quase se tornando tabu como futebol, religião e política: ninguém quer discutir. Só que o preconceito está ai, estampado nas redes sociais para qualquer um ver. A ideia da conta do twitter “A minha empregada” (twitter.com/aminhaempregada) foi simplesmente reunir todos esses tweets em um só lugar, e provar como a nossa sociedade é preconceituosa com os trabalhadores que nos prestam serviços.
No começo paracem engraçados, mas depois chega a ser triste. A maioria dos tweets são fúteis e até estúpidos, fazendo jus a descrição da conta:

“A chibatada é serventia da casa. (contém ironia e tristeza na batalha contra a imbecilidade e o preconceito).”

empregada2

empregada1

Tags:
Gabriela Araújo

Enquanto tento não pirar após ter me formado em Publicidade, trabalho como planner digital e social media no interior de São Paulo - viajando em qualquer fim-de-semana que der uma brecha. Meta de vida: trabalhar como publicitária em uma casinha na praia com uma biblioteca enorme.

  • 1