Digite para buscar

As aparências enganam

Diogo Travagin 11 de dezembro de 2014
Share

Começo esse post com algumas indagações feitas por um professor no meu primeiro dia de aula na universidade, no curso de marketing: Vocês compram morangos na feira ou nos supermercados? Qual a diferença entre uma caixa de morangos no supermercado e na feira? Porque, na maioria das vezes, torcemos o nariz para produtos, principalmente hortaliças e frutas, vendidos por ambulantes nas ruas e preferimos pagar mais caro pelo mesmo produto no supermercado? As respostas foram diversas, algumas até com teor preconceituoso, mas, de certa forma, compreensível para o momento.

O relato dessa situação vem ao encontro com o tema deste post: a quebra de paradigmas. Muitas vezes nós só damos valor àqueles produtos/serviços que são caros. Temos conosco que para ser de qualidade tem que ser caro e se uma empresa/pessoa vende o mesmo produto/serviço com preço inferior ao praticado pela maioria no mercado, nós desconfiamos e acabamos deixando de lado. Pelo menos uma vez na vida, todos nós já pensamos desta forma.

E, em Londres, foi desenvolvida uma ação de marketing para o Lidl, uma rede de supermercados conhecida por ter preços baixos, muito baixos. Em decorrência desse posicionamento adotado pelo Lidl, as pessoas tinham em mente que lá não se encontraria produtos de boa qualidade e grandes marcas. A ação consistia em montar um restaurante no formato pop-up (lugares instalados em algum ponto da cidade e com pouco tempo de duração. Geralmente usado para testar a aceitação de produtos e serviços), onde foi servido desde pratos simples até mais elaborados, boas opções de vinhos e decoração moderna do ambiente. A atmosfera criada foi proposital para parecer um restaurante mais conceituado, mas não muito elitizado.

Philippe Ladvocat, autor da reportagem “Restaurante de luxo “engana” clientes e faz surpresa na hora da conta”, foi um dos clientes que foi conferir o restaurante e pode vivenciar a ação de marketing. Ele fala, em sua matéria, sobre os pratos que ele e os amigos pediram, sobre o ambiente que encontraram e a surpresa que tiveram no momento em que receberam a conta e observaram que o valor foi de apenas 12 libras, ao contrário das 40 libras que o cardápio informava. . A ação de marketing foi criada para que as pessoas passassem a ver que na rede de supermercados Lidl também há bons produtos, marcas de qualidade e quebrasse a “barreira” entre as pessoas para que elas pudessem consumir no Lidl.

Fica claro, nesse caso, que a ação de marketing, para mudar a imagem que rede Lidl tinha diante dos consumidores, foi extremamente positiva e surpreendente. E vou além, mostra para os administradores de outras empresas que não é ruim reconhecerem que sua imagem e a comunicação da empresa estavam falhas e que deveria partir deles as mudanças e não esperar que o consumidor mudasse sua ideia quanto à empresa.

441_262-deluxe1 441_262-deluxe2 441_262-deluxe3 441_262-deluxe4

Via

Crédito para as fotos: Philippe Ladvocat.

Tags:
Diogo Travagin

Formado em Marketing e Propaganda com especialização em organização de eventos. Redator apaixonado pela publicidade, geek, produtor e apresentador do Piicast no Rádio. Adoro mídias sociais e sua capacidade de interação com o consumidor. Envie críticas, dúvidas ou elogios pelo e-mail: diogoctravagin@gmail.com

  • 1