Digite para buscar

O que uma marca representa à você?

Rodrigo dos Santos 23 de Março de 2015
Share

shutterstock_216847507Imagem: shutterstock.com

Ainda em pleno século XXI as pessoas se questionam sobre a verdadeira influência da publicidade na compra de um produto. Ou perguntam-se sobre o papel de um anúncio na construção e posicionamento de uma Marca.

É necessário compreender, que um Produto pertence a uma categoria e a marca, pertence a outra. Apesar de ser fácil as pessoas confundirem água sanitária com “Qboa”, ou escapamentos de veículos com “Kadron” ou ainda Prestobarba com “Gillete”… cabe a nós salientar que essa pequena confusão acontece por causa da imagem positiva e ao sucesso que uma marca teve ao se posicionar e ao fazer o mesmo com o seu produto. Falar dos benefícios físicos de um produto de maneira generalizada, qualquer anunciante pode fazer. Mas criar uma relação íntima com o produto, poucos o estão fazendo.

Mas então entra em cena outra história: O que tornará diferente um produto generalizado dos demais? O que fará uma pessoa comprar o seu produto ao invés do mesmo produto fabricado pela concorrência, com as mesmas características e os mesmos benefícios (com exceção da Marca diferente)? A resposta é: A Mitologia criada em torno de uma marca ou sobre o produto anunciado.

Além dos benefícios físicos e concretos de um produto, existem também os benefícios chamados: Psicológicos e/ou emocionais. Focar nestes benefícios, poderá ser o seu diferencial ao criar um anúncio. Através de estudos envolvendo diversas disciplinas como: antropologia, sociologia e principalmente psicologia, podemos saber com maior precisão a melhor maneira de se persuadir um Target. 

O que faz o consumidor optar entre o produto A ou B, é o modo como este produto é percebido por ele. Deve existir também, uma identificação entre as crenças e valores da Marca, com as próprias ideologias do consumidor. Assim a compra será parte de um ritual que começa na divulgação do produto e termina no consumo consciente e emocional pelo Target.

A compra, após essa identificação entre anunciante e consumidor, será feita com base naquilo que o produto representa a este últimoou no modo como este quer ser visto ao usar o produto anunciadoEste deixa de ser mero objeto físico, para tornar-se uma “extensão do poder pessoal” de quem o detém e o consome. Nesta verdadeira identificação entre o produto o consumidor, o produto já faz parte do próprio corpo físico e psicológico de quem o compra. Os valores de um, serão os valores que o outro respeita e acredita.

Tags:
Rodrigo dos Santos

Estudante de Publicidade e Comunicação em geral. Prestes a realizar 22 anos e cheio de dúvidas acerca do futuro da humanidade. Tirando isso, adora filmes, seriados, poesias e histórias.

  • 1

You Might also Like