Digite para buscar

Entrevista e 5 dicas para ser um bom youtuber com Tavião (Otávio Albuquerque)

Yorhán Araújo 22 de junho de 2015
Share

topo matéria

Hoje trago pra vocês uma entrevista com o “Rei do Youtube”, o grande Tavião (Otávio Albuquerque), criador de conteúdo que vocês devem conhecer do canal Rolê Gourmet que ele faz com seu amigo PC Siqueira, além disso, faz um trabalho bem interessante apoiando youtubers no YouTube Space e é funcionário da Google, vejo dele realmente uma vontade de ver a cena webica brasileira crescer e por isso resolvi bater um papo com ele sobre publicidade no YouTube e ao final ele dá 5 dicas para quem quer iniciar algum projeto.

1. Você como criador de conteúdo. Acha ruim  a saturação de canais que abordam o mesmo tema?
A saturação dos nichos é um processo inevitável quando um tipo de conteúdo faz sucesso — e é claro que isso torna o trabalho dos criadores mais difícil, mas eu no fundo vejo esse momento como algo muito interessante e necessário, pois força as pessoas a serem mais criativas e darem um duro muito maior para criar conteúdo que tenha seu diferencial. Pro ecossistema em geral, é algo muito bom.
2. Vejo que existe uma certa insegurança das agências de publicidade em investir mais no YouTube, em youtubers na verdade, ainda apostam em meios convencionais que talvez não sejam tão eficazes para atingir o público que o produto é indicado. Na sua opinião. Por qual motivo isso acontece?
Acho que é por falta de experiência mesmo — e dos mais vários lados. O YouTube acabou de completar 10 anos. A TV está aí há décadas e décadas, então é preciso que as agências estejam dispostas a aprender a operar de uma forma totalmente nova, o que assusta muita gente, claro. Por outro lado, acredito que além do melhor preparo das agências, os youtubers também ainda precisam se profissionalizar muito — grande parte dos criadores construiu públicos enormes, mas não necessariamente estava preparada para gerenciar isso como um negócio. Muitas vezes esses criadores encontram agentes para administrá-los, mas esses agentes não entendem necessariamente de YouTube, e acabam fazendo um mau trabalho no gereciamento das ações, o que impede os resultados de serem o que poderiam ser. Sinto que o mercado de talentos no youtube brasileiro ainda é muito cru — mas é só questão de tempo para as coisas se encaixarem, porque o público está na plataforma e é inevitável que a publicidade precise dar cada vez mais atenção ao YouTube.
3. Eu sou bem viciado em YouTube, tanto que estou envolvido em alguns projetos e por estar nesse meio, assisto vários canais, muitos ainda pequenos ou que não tem tanta atenção, pelo menos no começo e vejo você comentando os vídeos deles. Qual sentido você vê nisso?
Eu sou fã de vários canais no YouTube, independente do tamanho ou audiência deles. Comento pelo mesmo motivo que qualquer um comenta, para mostrar o quanto curti (ou não curti) alguma coisa! No YouTube, as ondas hoje em dia são muito rápidas — lembro que conheci a Jout Jout por exemplo quando ela tinha pouco mais de 300 inscritos. Hoje ela já tem mais de 160.000 e é uma das criadoras mais faladas da plataforma.

4. Sempre que se fala em YouTube no meio publicitário, ainda o chamam de nova mídia. O que você acha disso?
Mas é! TV, rádio, outdoor, jornal, revista… tudo isso é muito, muito mais antigo. E não é ruim ser novo não.
5. Tavião, além do Rolê Gourmet, você tem algum projeto em andamento? Algum tipo de conteúdo diferente que possa falar?
Há coisa de um mês, criei um canal novo, o Coisas Que Nunca Vivi (ou evitava viver), onde me mostro fazendo coisas que nunca fiz — mas coisas simples, nada do tipo “pular de paraquedas”. A ideia é mostrar que é possível encontrar momentos interessantes e ter boas reflexões mesmo em cima de coisas muito simples e pequenas. Gosto muito do Rolê, e pretendo continuar por muito tempo ainda, mas sentia a falta de ter um espaço onde eu pudesse falar sobre coisas, por falta de uma palavra melhor, mais densas com um público não tão jovem — sinto que isso é algo que falta no YouTube, conteúdo e criadores mais maduros, falando para esse público que ainda não encontra muita representatividade na plataforma.

Bom para finalizar queria que você desse 5 dicas no seu ponto de vista sobre como começar no YouTube.

DICA 1

Dica 1: Equipamento sim! Mesmo com muito pouco dinheiro, é possível montar kits bem legais de produção. É tudo questão de entender como será seu conteúdo e quais são suas necessidades.

DICA 2

Dica 2: Seja original — não tente entrar em “ondas”. Elas provavelmente já quebraram.

DICA 3

Dica 3: Faça algo que você ama — é o que vai garantir que você consiga produzir, mesmo exausto depois de chegar do trabalho.

DICA 4

Dica 4: Pense no seu canal de forma empreendedora — seu canal não precisa virar um negócio necessariamente, mas você precisa se comprometer com ele.

DICA 5

Dica 5: Estude e consuma YouTube! Esse é um dos maiores equívocos que vejo acontecendo gente que quer ter um canal, mas não conhece seus colegas ou o conteúdo que está sendo produzido. Para ter um bom canal, antes é importante saber qual é o cenário no qual você está entrando.

Tags:
Yorhán Araújo

Quase ilustrador, quase escritor, quase publicitário, porque viver de "quase" é sempre uma busca por melhorar... Ou quase.

  • 1

You Might also Like