Digite para buscar

Campanha institucional de SOS Mata Atlântica aposta em histórias reais

Guilherme Pereira 19 de agosto de 2015
Share

SOS-Mata-Atlântica

A Fundação SOS Mata Atlântica divulga nesta semana a nova campanha “Espécies da Mata Atlântica”, que conta histórias reais de cidadãos que se mobilizam, cada um à sua maneira, em favor da preservação do meio ambiente e da Mata Atlântica. Criada pela agência DPZ&T, a websérie terá quatro episódios e contará ainda com o portal “GPS Mata Atlântica” (gpsmataatlantica.org.br), que vai mapear onde estão as boas iniciativas que contribuem para a causa ambiental.

As pessoas são convidadas a participar publicando fotos, vídeos e textos que relatem suas ações em prol do ambiente em que vivem. A campanha terá ainda anúncios para as mídias digital e impressa. Disponíveis nos perfis sociais e no site oficial da SOS Mata Atlântica, os webfilmes são narrados por artistas como Mariana Ximenes, Regina Casé e Márcio Garcia, que apoiam a causa e emprestaram voluntariamente suas vozes para a ação.

Para Marcia Hirota, diretora-executiva da Fundação SOS Mata Atlântica, a campanha mostra às pessoas que existem formas simples de ajudar na preservação do meio ambiente. “Com este projeto queremos reforçar a ideia de que qualquer um pode fazer sua parte e contribuir para um ambiente mais sadio. Ao trabalhar com histórias reais – que inspiram e mostram diversas maneiras de proteger o ambiente – temos a oportunidade de aproximar ainda mais as pessoas e engajá-las para a causa ambiental”, diz ela.

Segundo Daniel Motta, diretor de Criação da DPZ&T, a comunicação lança um novo posicionamento para a marca: “sua causa é a nossa”, que renova as ambições da ONG em seus 28 anos de atuação. “A SOS Mata Atlântica foi criada com uma proposta que hoje é ainda mais atual. Questões ambientais extrapolaram o debate ambientalista e se tornaram sociais quando percebemos os impactos na qualidade de vida, como a atual escassez de água. O objetivo da campanha é vincular valores que o jovem defende com a razão de existir da SOS Mata Atlântica. Esse pensamento que inclui, inspira e favorece a troca de ideias conduziu naturalmente a um formato prioritariamente digital.”

Inicialmente, a websérie da campanha terá dois episódios. Os minidocumentários contam a história de indivíduos que, por razões inicialmente pessoais, deram origem a movimentos que contagiaram outras pessoas. “Com atitudes extremamente simples e facilmente replicáveis, que apelidamos de microrrevoluções, essas pessoas estão fazendo a diferença para melhor na preservação da Mata Atlântica”, afirma Motta.

Um dos exemplos é o do Rafael Pereira, que incentiva a participação de voluntários no monitoramento da água dos rios e faz parte do programa Observando os Rios, da SOS Mata Atlântica. Como consequência, sua ação ajuda a engajar pessoas a cobrar o poder público por rios mais limpos e melhorar a qualidade de vida nessas áreas. A narração da história do Rafael foi feita pela atriz Mariana Ximenes.

Outro personagem é o Pedro Paulo de Osorio Ferreira, voluntário no Parque Nacional da Tijuca, no Rio de Janeiro, que participa de atividades para recuperação da mata, limpeza e manutenção de trilhas, orientação e informação aos visitantes. Essas atividades contribuem para que que o local fique mais bem cuidado, incentivando que as pessoas frequentem mais os parques. Quem conta esse caso é a apresentadora e atriz Regina Casé.

Confira os dois depoimentos abaixo:

“Observando Rios”

“Parque Nacional da Tijuca”

Tags:
Guilherme Pereira

Publicitário atuante na área de Mídia, pós-graduado em MBA Marketing pela FGV. Sonhador, com sede de conhecimento, viciado em séries, adorador de cultura de internet e dono de uma sinceridade ácida.

  • 1

You Might also Like