Digite para buscar

Crítica: Os Oito Odiados

Nina Elora 12 de Janeiro de 2016
Share

Os Oito Odiados

Como deixar de lado o novo filme do polêmico e adorado diretor Quentin Tarantino, que tem de tudo para ser um grande novo sucesso? Os Oito Odiados (The Hateful Eight) é o oitavo filme do diretor e conta com todas as características mais do que conhecidas do dono de todo o sangue de Hollywood. Contando com mais de 2 horas e 30 minutos de filme, o longa possui uma introdução longa e bem didática, fazendo até que alguns espectadores fiquem um pouco entediados com a falta de ação na primeira hora do filme.

Com um caçador de recompensas junto com uma prisioneira, um novo xerife e um negro, a história começa a mostrar um pouco do cenário anos após a guerra civil americana. Tarantino, assim como em Django, faz questão de usar pronomes e piadas racistas com o personagem de Samuel L. Jackson, o único negro da trama toda. Vários diálogos racistas são feitos de forma satírica, o que faz com que o espectador ria de início, mas também permite que logo após haja um sentimento de remorso por ser um assunto tão atual na sociedade. O método já utilizado anteriormente é seguido pelos flashbacks que fizeram parte de Pulp Fiction (1994), eles retornam como método de como a história é explicada ao expectador ao longo dos acontecimentos.

A trilha sonora retorna com Ennio Morricone com um estilo mais antigo, incluindo a antigo costume de colocar composições que ressaltam a cena e dão um toque especial à cena que em nossa percepção não faltava nada. Com o recente Globo de Ouro, a trilha sonora pode repetir o feito de Django e faturar também o Oscar que será no dia 28 de Fevereiro.

Agora, se toda essa estrutura não te convenceu e você só quer saber de sangue e uma boa história com uma surpresa, então é claro que esse filme é pra você também. Muita gente pode ter achado Django Livre um dos filmes mais leves de Tarantino, então para matar a saudades dos sustos por conta das explosões corporais causadas por tiros, esse filme é perfeito para isso. Se tiver querendo um toque de terror/horror adivinha só… Os Oito Odiados! Não tem como inventar uma desculpa plausível para perder o novo filme de Quentin Tarantino, nem para os “haters”.

Tags:
Nina Elora

Estudante de Design Gráfico, apaixonada por cinema, livros e séries. Acredito que um pouco de arte na vida de toda pessoa é essencial. E nada melhor pra melhorar o dia do que sorvete e um batom vermelho.

  • 1

You Might also Like