Digite para buscar

O Boticário, a beleza e a psicologia do consumidor.

Bia Vasco 14 de Janeiro de 2016
Share

o boticario lindaex

O Boticário é indiscutivelmente uma marca de sucesso, com propagandas bem elaboradas e as vezes polêmicas.

Depois da propaganda envolvendo homossexualidade, agora foi a vez do machismo.

Agora em dezembro de 2015 foi lançada “Acredite na Beleza – A Linda Ex”

“Em 2016, acredite que você pode tudo! Acredite na sua beleza, acredite em você.”

Usando ela como exemplo, para dar uma referência publicitária… Vamos pensar na montagem da propaganda, analisar a ideia.

A propaganda causou comoção no público ao mostrar uma cena cotidiana entre um casal no momento final de um relacionamento. A crítica foi intensa após o lançamento, incomodou, e a propaganda denunciada ao CONAR por parte do público que a assistiu.

Assistam o vídeo

Mas afinal, o incômodo tem fundamento? Houve erro na produção do roteiro?

Dificilmente.

No caso dessa propaganda,

O Boticário soube buscar dentro do relacionamento “homem e mulher” um material de trabalho interessante. Atração, relacionamento, convívio, auto estima e chegando obviamente, ao seu produto, BELEZA.

*Reparem que se entramos no site da marca a maioria dos produtos é destinado para mulheres, que já saíram da fase teen, o que torna a situação “casamento/divórcio” pertinente.

Sabe aquela matéria “Psicologia do consumidor” que a maioria das pessoas que já estudou publicidade cursou, nela alguns comportamentos são apontados, Sexo, equilíbrio, segurança corporal, família, intimidade sexual, seguidas de auto estima, confiança e aceitação, esses itens soam familiar no vídeo cima? São essas, típicas necessidades humanas, exaltadas fortemente no roteiro.

A propaganda usou de um conhecimento básico sobre seres humanos, a atração pela beleza (Objetivo da venda), juntamente com a falta de equilíbrio, segurança, intimidade, auto estima e aceitação que ocorrem durante relações. Isso trouxe uma identificação com público.

Lembrando que beleza e atração são coisas subjetivas, mas a beleza física é uma das atrações mais imediatas, capaz de criar os primeiros vínculos e construir relações. Não foi dificuldade para o roteirista imaginar por exemplo, que as expressões dos maridos mudariam. O restante, fala por si só.

O que aconteceu foi uma cena (que mesmo que seja “Montada”) expressa algo real. Desgastes durante relações e perda da apreciação física.

“Acaba ficando comum você estar do lado daquela pessoa. Então deixa de ser atrativo.”

“Acontece de parar de olhar… Você deixa de olhar…”

O fato é que a propaganda deu certo! Chamou a atenção, comoveu, motivou.

Vender beleza então é algo fácil, certo?

Não exatamente, afinal pense que mais pessoas já perceberam a área da beleza como oportunidade, e o mercado não para de crescer. Mas… vender beleza em um momento importante na vida das pessoas dá muito certo. Afinal o que marca fez foi estar presente em um momento de fragilidade, dar força, auto estima, e confiança.

Supondo que seja uma cena totalmente real (casais reais) *, nunca saberemos o que ocorreu de fato depois da gravação da propaganda, mas sabemos que as mulheres participantes nesse enredo tiveram o seu momento especial, se sentiram incríveis, confiantes e BELAS mesmo em uma situação desagradável. Graças a um up da marca ;)

É ai que está concretizada a venda!

Por que deu certo/incomodou? Porque a situação é algo REAL.

Como saberiam que daria certo? Conhecimento de caso e comportamento humano.

Por mais que tenha havido por parte do público interpretações ideológicas ao invés de comerciais, muitos se identificaram. E com certeza atingiu grande parte do público.

É difícil crer que uma marca com o principal público feminino faria algo com a intenção de constranger ou menosprezar as mulheres. Principalmente uma marca tão forte.

Como resultado de grande movimentação e críticas, a peça produzida pela agência AlmapBBDO está passando por um processo diante o CONAR (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária) com a alegação de que o conteúdo seria de caráter “machista, sexista, desvalorizando as características femininas além das físicas”. O julgamento será realizado agora em fevereiro.

A principal ideia é, USEM TODOS OS SEUS RECURSOS, tudo que possa inspirar e mostrar paralelos. Se atentando aos níveis de necessidades do seu público e entendendo o seu comportamento, você pode obter sacadas geniais. Não abandonem matérias aparentemente metódicas. A percepção do público como consumidor e como ser humano, além das trazidas por pesquisas, é fundamental.

Tags:
Bia Vasco

I'm fabulous! Publicitária, Analista de Maketing e designer (as vezes). Apaixonada por conteúdo digital, neuromarketing e neurolinguística. Praticante de artes circenses aéreas, dançarina e atriz (interrompida). A "Multi mulher" e "multi profissional" mais amorzinha que você irá conhecer. Prazer, Bia. ?

  • 1

You Might also Like