Digite para buscar

Os dois lados da publicidade

Hermes Garcia 18 de Março de 2016
Share

Tudo tem seu lado bom e seu lado ruim, e a publicidade também. Por isso, antes de sair por aí colocando as técnicas publicitárias na forca e a culpa no mundo lembre-se: o problema está em como usamos nossos conhecimentos e não no conhecer. Digo isso porque ao longo do seu envolvimento publicitário, haverá intensas relações de amor e ódio para com os fins que serão utilizados suas habilidades comunicacionais.

“Àquele que possui a informação, detém o poder”. Mas ter a informação não basta, é preciso decidir como usá-la. Essa é a linha entre o vilão e o herói. Óbvio que no mundo capitalista que vivemos, o vilão também é necessário, então nada de radicalismos por aqui. Entenda que outros terão o mesmo conhecimento que você e utilizarão para fins diferentes. Quero apenas elucidar algo que muito me incomodou na publicidade nos primeiros anos de faculdade, e que pode te incomodar também. O que não quer dizer que você está no caminho errado e tem que desistir.

No início, apeguei-me a aspectos negativos. Em pouco tempo, acreditei que me aperfeiçoava em técnicas e me apropriava de teorias que para nada serviam, além de manipular pessoas para que consumissem irrefreavelmente produtos que não precisavam. Alimentando necessidades fúteis e tornando esse mundo mais vulgar do que o já insuportável. E o pior, convencendo-as que isso às fazem felizes.

Isso me incomodou, por mais prazeroso que é convencer alguém a acatar minhas influências, para esse fim, feria minha moral. Então chegou a hora de buscar o lado bom, o lado da publicidade capaz de tornar esse mundo melhor. Foi aí que passei a observar exemplos de campanhas sociais que fazem valer a pena se aprofundar nesse estudo, que me faz querer mudar o mundo através das ideias e alimentar meu ego com ações que também melhoram a sociedade.

Evidente que também pretendo fomentar o capitalismo e viver dos frutos que ele me proporciona. Mas acredito que é minha obrigação confrontar essa decisão sempre que possível, na tentativa de balancear os impactos. Na tentativa de alimentar o melhor dos dois mundos, já que ambos são necessários; O do consumo, que alimenta a economia e faz as pessoas terem prazer, satisfação das necessidades e realização dos sonhos, E também do social, que visa diminuir o preconceito, desmistificar falsos estigmas, conscientizar a igualdade, trazer empatia e até salvar vidas.

Pensando assim, o lado mercenário da publicidade não é tão ruim. Pelo menos quando amenizado por tantas bem feitorias que a mesma publicidade proporciona.

Abaixo segue algumas das campanhas que certamente te trarão inspiração e vontade de seguir adiante.

Campanha 20 Anos O Câncer de Mama no Alvo da Moda

O Cartaz HIV positivo

Campanha de conscientização redução da velocidade no trânsito

Tags:
Hermes Garcia

Paulista, canhoto, estudante de publicidade que sonha em ser escritor, mas se diverte como amante da fotografia e nunca perde o interesse por sociologia.

  • 1