Digite para buscar

Como a limitação nos planos de banda larga, podem prejudicar a era digital no Brasil?

Fernando Magnus 4 de Maio de 2016
Share

Recentemente as operadoras Net, Vivo e Oi anunciaram projetos de imposição de franquias de dados na utilização dos serviços de banda larga fixa. Na prática isso significa que o usuário ao ultrapassar o limite de dados oferecidos pelas respectivas operadoras terá a redução da velocidade e eventualmente o bloqueio dos serviços prestados pelas mesmas, podendo optar pela aquisição de pacotes adicionais.

Youtubers, atuantes na área de mídias sociais, publicitários, produtores de conteúdo e outros profissionais se veem ameaçados, não se trata apenas de prejudicar o usuário comum, mas centenas de empresas de negócios digitais ou que necessitam de internet banda larga serão penalizadas. Vale lembrar que já faz algum tempo que a relação das operadoras de telefonia e banda larga já se encontra desgastada junto ao consumidor, devido ao alto custo na prestação de serviços que muitas vezes é de péssima qualidade. Além da ineficaz prestação de atendimento a tomada deste tipo de decisão faz com que a relação entre empresa x consumidor fique relação ainda pior.

Em pesquisa divulgada recentemente pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) constata-se que pela primeira vez, mais da metade dos lares do país tem acesso à internet. Certamente esta não será uma crise fácil de gerenciar, levando em consideração que mais de 105 milhões de brasileiros utilizam a internet diariamente no trabalho, ou mesmo para se entreter e informar.

A repercussão da notícia nas redes sociais como Facebook e Twitter foi imediata. Através da hashtag #InternetMaisJusta centenas de usuários protestaram, apontando inclusive que o consumo de serviços de streaming como a Netflix e o YouTube será algo inviável logo após a mudança. Alguns prometeram inclusive realizar um ‘cancelaço’ de seus contratos caso ela ocorra.

Em Shoppings, bares, restaurantes e salões de beleza, lugares onde comumente se encontra o wi-fi liberado, certamente os donos cancelarão este tipo de serviço, ou eventualmente passarão a cobrar de seus frequentadores uma possível taxa para fornecimento de senha e utilização da rede local.

Cabe à Agência Nacional de Telecomunicações (ANAC) defender aos interesses e direitos dos cidadãos, uma vez que o sistema de franquia de dados é um grande retrocesso nos avanços tecnológicos já conquistados e que acima de tudo empobrece e atrapalha o desenvolvimento do país.

Fernando Magnus

Workaholic de nascença e estudante de jornalismo no momento. Social media e internauta compulsivo, apaixonado por música, fotografia, séries e livros.

  • 1