Digite para buscar

Bolas coloridas denunciam a desigualdade de gênero nos esportes

Felipe Milanesi 2 de Abril de 2018
Share

Em parceria com a Penalty e Netshoes, a ESPNW lançou, na última quinta-feira (29 de março), a campanha Inequality Balls. 

Para ilustrar a desigualdade de gênero nos esportes, foram confeccionadas quatro bolas: de futebol, vôlei, handball e basquete. As cores nas bolas representam a diferença salarial entre homens e mulheres nos esportes. O resultado é surpreendente. 

A ideia surgiu inspirada na pesquisa produzida pelo jornal britânico Sporting Intelligence que, em 2017, analisou a remuneração de 465 times e 29 ligas de nove modalidades em 16 países. O estudo constatou diferenças enormes em todos os esportes, por exemplo: nos Estados Unidos, jogadores da NBA recebem, em média, 100 vezes mais que o das atletas da WNBA, a liga feminina de basquete do país. Eles ganham cerca de 5.498 milhões de libras por ano, contra 57.490 mil delas.

Outro dado que mostra o abismo entre os salários de homens e mulheres no esporte é do atacante Neymar, do PSG. O salário do jogador brasileiro equivale aos de 1.693 atletas juntas das sete principais ligas de futebol feminino no mundo.

A campanha Inequality Balls é assinada pela Africa e conta com a participação de atletas ícones do esporte nacional, como Jaqueline e Camila Brait, do vôlei, e Janeth, do basquete. A renda será revertida para a ONG Think Olga.

Para saber mais sobre o projeto Inequality Balls, clique aqui.  

Felipe Milanesi

Publicitário, sonhador, louco, curioso, apaixonado por cerveja, séries e escrever. Transforme o mundo com boas ideias ou morra tentando.

  • 1